VW Amarok V6 mais potente será apresentada neste mês no Brasil

Segunda geração da picape média, entretanto, ainda é dúvida para o mercado da região
Acima a Amarok V6 atualmente comercializada no Brasil

Acima a Amarok V6 atualmente comercializada no Brasil | Imagem: Divulgação

Aproveitando a estreia nesta semana do Volkswagen Taos produzido na Argentina para os países da região, alguns colegas da mídia especializada local tiveram a oportunidade de entrevistar Pablo Di Si, o principal executivo da marca alemã para a América Latina, bem como Thomas Owsianski, atual CEO da VW Argentina. 

Veículo que integrou a coletiva de imprensa, o Argentina Autoblog relata algumas informações relevantes apresentadas pelos executivos, em especial com relação à Amarok. A picape média é produzida atualmente em Pacheco, mesmo local adaptado para produzir o Taos sobre a plataforma MQB. 

Durante a conversa, os executivos confirmaram que a variante recalibrada para 258 cv da Amarok V6 será apresentada ainda neste mês no Brasil, com o início das vendas por aqui começando logo depois. 

Um ponto polêmico revelado por Owsianski e Di Si foi que a segunda geração da Amarok ainda não está confirmada para a região por conta da fabricação do modelo ocorrer apenas na África do Sul. “Não temos planos, no momento, de oferecer por aqui a futura Amarok que será fabricada na África do Sul. A Argentina não tem nenhum acordo de intercâmbio comercial com esse país, por esse motivo o preço se tornaria impraticável para importar a nova Amarok de lá”, revelaram os executivos.

Vale a pena destacar, entretanto, que o Mercosul possui desde 2016 um acordo de comércio preferencial com a União Aduaneira da África Austral. Além do Brasil, o acordo envolve Argentina, Uruguai, Paraguai, África do Sul, Namíbia, Botsuana e Lesoto. O tratado prevê a criação de uma área de livre comércio entre os dois blocos. 

Desenvolvidas em conjunto pela Ford, as novas gerações de Ranger e Amarok ganharão os mercados globais em 2022. 

Os executivos reiteraram que “a Amarok que é produzida atualmente na Argentina tem a continuidade assegurada”, o que nos leva a crer que a intenção da Volkswagen na região é continuar apostando na picape atual ao invés de considerar a atualização do produto. 

Ainda sobre as operações da marca alemã no país vizinho, a dupla de executivos ponderou que o maciço investimento realizado na fábrica de Pacheco para trazer a plataforma MQB à unidade fabril tornará “possível” a inclusão de um segundo modelo monobloco na planta argentina. “Incorporar um segundo produto com a plataforma MQB em Pacheco não é simples e é caro, mas é possível. Com a Amarok e o Taos atualmente em produção, não há espaço em Pacheco para um terceiro produto. Porém, se o mercado se reativar e a Argentina retomar volumes de venda próximos de um milhão de emplacamentos anuais, como era possível de ser alcançado há alguns anos, podemos analisar a viabilidade de mais um projeto local”, explicaram. 

Quem sabe esse terceiro modelo para a fábrica em Pacheco possa ser a Volkswagen Tarok, uma interessante picape compacta-média com proposta semelhante a Fiat Toro. Revelada em 2018 como um conceito no Salão de São Paulo, a Tarok certamente foi um dos futuros modelos que precisou ter os seus planos revistos devido aos impactos da pandemia nas operações da Volkswagen na região. Quem sabe, com a retomada econômica se desenhando de maneira mais rápida no Brasil e demais mercados, a picape possa ganhar vida e chegar às ruas e avenidas do país. Vamos acompanhar de perto!

Projeção do designer Kleber Silva para a Volkswagen Tarok de produção
Projeção do designer Kleber Silva para a Volkswagen Tarok de produção
Imagem: Kleber Silva
Assine a newsletter semanal do AUTOO!