Além do C3, Citroën prepara dois novos modelos para o Brasil

Dupla integra programa C-Cubed e estreia até 2024; carros serão produzidos em Porto Real (RJ)
Projeção de Kleber Silva para o sedã derivado do novo Citroën C3

Projeção de Kleber Silva para o sedã derivado do novo Citroën C3 | Imagem: Kleber Silva/KDesign AG

Em algumas oportunidades já analisamos aqui no AUTOO o interessante programa C-Cubed que a Citroën desenvolve com foco em mercados emergentes.

Uma informação relevante anunciada pelos gestores da marca no Brasil durante a apresentação do novo C3 é que os produtos desenvolvidos dentro da família em questão também serão produzidos e comercializados em nosso país.

O projeto C-Cubed vai inaugurar um novo capítulo da história da Citroën na nossa região. Teremos três veículos totalmente novos nos próximos três anos, desenvolvidos em grande parte por nossas equipes e produzidos na América do Sul, reforçando cada vez mais nossa conexão com nossos clientes”, revela a Stellantis, conglomerado que administra a marca francesa. 

Os futuros modelos da Citroën serão produzidos com uma forte integração local de peças e componentes, bem como uma estratégia de custos que viabiliza a oferta de modelos que correspondam ao posicionamento mainstream da Marca: carros modernos, com muita qualidade e um estilo atraente, com excelentes equipamentos e um custo total de compra e manutenção cuidadosamente estudado”, acrescenta. 

Segundo a Stellantis, a previsão é lançar uma novidade da família C-Cubed por ano, a partir do novo C3 em 2022. Com isso, podemos esperar por mais um modelo em 2023 e outra novidade em 2024, completando a família. 

Apostas

De acordo com apurações recentes de veículos de imprensa indianos, local onde o programa C-Cubed conta com grande parte do desenvolvimento, ao menos um dos dois integrantes da nova família deverá ser um sedã acessível, categoria que ainda é relevante em mercados como Índia e Brasil. 

Não se sabe ao certo, contudo, se a Citroën vai optar por desenvolver um modelo do porte de Chevrolet Onix Plus e Hyundai HB20S ou, quem sabe até, um produto ligeiramente menor.  

Já o terceiro modelo poderia ser um SUV de porte compacto, em linha com o que encontramos hoje no segmento de Jeep Renegade, VW T-Cross, entre outros.

Designado como projeto CC24, ele também usará como base a plataforma CMP. Seria um sucessor para o Citroën C4 Cactus nacional, com conteúdo superior de equipamentos e tecnologia para atuar em uma faixa de preço acima do C3? Nos resta acompanhar de perto as evoluções do projeto.

É fato que o novo C3 ficará, em termos de posicionamento de mercado, muito próximo ao Fiat Pulse, talvez até com uma precificação abaixo do representante da marca italiana. 

Com isso, as perspectivas são animadoras e certamente os futuros investimentos irão colaborar para iniciar uma nova fase da Citroën no Brasil, tornando-a capaz de recuperar boa parte da participação de mercado da qual abriu mão nos últimos anos. 

A tendência é que os modelos do programa C-Cubed, como o novo C3, apostem no custo-benefício agressivo e também não descuidem do baixo custo de propriedade, como a Stellantis deixou claro em suas aspas.

Citroën C3 2022
Citroën C3 2022
Imagem: Divulgação
Tags