BYD sofre duro golpe

Montadora chinesa vê ações despencarem depois do fim de joint-venture na Europa

BYD S6 | Imagem: BYD

A cada dia que passa, a imagem de ousadia e modernidade da marca chinesa BYD se desfaz mais um pouco. A montadora, que havia virado queridinha do mercado após vender parte de suas ações para o investidor Warren Buffet, não para de receber más notícias.

Primeiro foi uma onda de ceticismo quanto à sua suposta capacidade técnica e agora a BYD foi abalada pelo cancelamento da joint-venture com a empresa CGL, um braço financeiro do banco francês Societe Generale. Os dois grupos planejavam lançar a BYD Auto Finance, uma financeira que serviria como suporte para os financiamentos dos carros vendidos pela marca.

Mas a CGL anunciou no começo da semana o fim da parceria devido “aos crescentes riscos do mercado automobilístico chinês”, o que provocou a queda de mais 70% nos preços das suas ações. De fato, as vendas no país começaram a perder forças nos últimos meses depois de taxas de crescimento impressionantes.

Segundo rumores no mercado, a CGL estaria sim preocupada com a suposta qualidade dos carros da BYD. A empresa nega que o fim do negócio vá afetar seus resultados financeiros.

Fundada em 2003, a BYD é uma das maiores montadoras originalmente chinesas e planeja entrar no mercado americano em 2012. No Brasil, a marca já registrou patentes de alguns modelos e estaria negociando com um representante local para passar a comercializar seus modelos aqui.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!