C4 Cactus e T-Cross: o que eles antecipam da nova geração de SUVs

Novidades de Citroën e VW revelam características que vamos encontrar na categoria de SUVs compactos
Volkswagen T-Cross 2018

Volkswagen T-Cross 2018 | Imagem: Divulgação

A Citroën lança nesta semana, com cobertura completa do Autoo, o C4 Cactus, modelo que é uma grande aposta da fabricante para recuperar sua participação de mercado. A novidade, bem como o futuro Volkswagen T-Cross brasileiro programado para chegar ao mercado no início de 2019, são muito relevantes uma vez que antecipam muitas características do que vamos encontrar nas próximas gerações dos SUVs compactos comercializados no Brasil.

Uma das principais características que os projetos de Citroën C4 Cactus e Volkswagen T-Cross nos mostram é o cuidado com o espaço interno. Hoje, modelos como o Honda HR-V e o Hyundai Creta apresentam cabines espaçosas e são SUVs muito procurados no mercado, logo fica clara a importância que o público brasileiro (e até global) confere a esse atributo. A Volkswagen até “espichou” o entre-eixos do T-Cross que vai produzir aqui no Brasil em relação ao Europeu para melhorar o espaço para os passageiros.

Já a Citroën, por sua vez, fez questão de antecipar imagens do interior do C4 Cactus nacional enfatizando fotos da cabine que realçam o habitáculo do modelo. Modelos de aplicação familiar, sem dúvida os clientes de SUVs compactos buscam modelos capazes de oferecer bastante conforto para adultos e crianças.

O segundo ponto relevante que C4 Cactus e T-Cross antecipam sobre os futuros SUVs compactos vai para o conjunto mecânico. O representante da VW contará com opções 1.0 TSI e 1.4 TSI, ambas com turbo e injeção direta, portanto contará com uma favorável relação entre desempenho e economia de combustível. O C4 Cactus também aposta na motorização 1.6 THP para se diferenciar na categoria. Hoje modelos como o Hyundai Creta, por exemplo, até vão bem no atributo desempenho nas versões com motor 2.0 16V, porém o consumo é ligeiramente elevado.

Com isso – e a natural evolução dos conjuntos mecânicos – podemos esperar que as próximas gerações de Creta, bem como Honda HR-V, Nissan Kicks, dentre outros, cheguem ao mercado a partir de 2020 com motorização turbo ou até mesmo conjuntos propulsores híbridos. No caso do Jeep Renegade, a Fiat Chrysler declarou que prepara novos motores turbo para equipar sua gama e substituir seus propulsores flex de maior deslocamento.

Um terceiro atributo que veremos no Citroën C4 Cactus e no Volkswagen T-Cross será o aumento de assistentes de condução e eletrônica embarcada. A Citroën confirmou que o C4 Cactus nacional, provavelmente nas versões mais caras, oferecerá recursos como frenagem autônoma de emergência e alerta de colisão, alerta de saída da faixa de rodagem, detector de fadiga, dentre outros. O T-Cross, por sua vez, contará com assistente de estacionamento de terceira geração dentre outros recursos. Hoje em dia, o Nissan Kicks na versão topo de linha SL com o Pack Tech (preço sugerido de R$ 100.390) oferece a frenagem automática de emergência.

Por fim, no quesito design, uma aposta tanto do Citroën como do Volkswagen será a opção de pintura bicolor para a carroceria, no caso com o tonalidade para o teto contrastando com o restante do carro. O Nissan Kicks foi um dos modelos que colaborou para difundir essa opção de pintura dentro da categoria e o público gostou da ideia.   

Se chegarem ao mercado com valores competitivos – o que deverá ocorrer devido à política mais agressiva em termos de valores adotada por Volkswagem e Citroën – o C4 Cactus e o T-Cross terão as qualidades para tornarem-se as referências na categoria. Isso pelo menos até os competidores diretos inaugurarem suas novas gerações...