Carros 0 km parados nas lojas estão valorizando

Levantamento da Kelley Blue Book aponta que modelos que permanecem em estoque valorizaram em julho
Concessionárias deverão seguir uma série de protocolos na reabertura gradual em São Paulo

Concessionárias deverão seguir uma série de protocolos na reabertura gradual em São Paulo | Imagem: Divulgação

Com um total de 163.083 unidades comercializadas no mês de julho, o mercado de veículos de passeio e comerciais leves 0 km viu um crescimento de 32,8% na comparação com junho, mas ainda abaixo do registrado no mesmo período de 2019. Ainda sentindo o reflexo de fábricas paradas por conta da pandemia no segundo trimestre, o mercado está vendo uma elevação nos preços médios cobrados por automóveis que permaneceram em estoque.

Essa foi a conclusão do levantamento da KBB Brasil por meio do Monitor de Variação de Preços para o mês passado. De acordo com o estudo, houve uma queda de quase 50% do nível de produção de veículos acumulado nestes 7 meses, em relação ao ano passado, forçando as concessionárias a administrarem um estoque de 24 dias, segundo a Anfavea (associação que representa as fabricantes). Normalmente, o estoque das lojas gira entre 30 e 35 dias num ritmo normal de vendas, como o de 2019. Com essa movimentação, modelos adquiridos antes da pandemia e que permaneceram em estoque ficaram mais disputados.

De acordo com a KBB, "os números indicam um bom ritmo de retomada, porém ainda não o suficiente para equalizar a produção e os estoques. Os veículos 0 km adquiridos pelas concessionárias com condições pré-pandemia e antes da alta expressiva do dólar podem estar se tornando opções viáveis para atender aos clientes em busca de carros novos". Com isso, automóveis ano/modelo 2020 tiveram uma valorização de 0,09% no mês passado, enquanto as últimas unidades de modelos 2019 e até 2018 ficaram em média 0,66% e 0,45% mais caros no período, respectivamente. Com o retorno da produção aos poucos, carros 2021 tiveram uma redução no valor médio cobrado de 0,52% no período.

Com menos veículos 0 km nas lojas, o mercado de usados se aqueceu. Carros 2020 seminovos viram uma valorização média de 0,56% no mês passado. Entre os modelos usados 2019 até 2012, o ritmo de desvalorização foi menor na comparação com junho. Os carros 2019, por exemplo, perderam 0,69% do valor no mês passado, contra 1,74% de desvalorização média no período anterior. "No recorte de veículos seminovos e usados, a recuperação do mercado tem sido até mais rápida. Segundo a Fenauto (federação que reúne os revendedores), a média diária de transações em julho foi menos de 15% menor do que a do mesmo mês de 2019. Foram 838.682 transações realizadas em julho, um acréscimo de cerca de 51% sobre junho, porém, ainda 17% abaixo de julho do ano passado", analisa a KBB.  

Segundo o estudo da KBB, entre os carros 0 km, o segmento que viu os maiores aumentos de preços foi o de utilitários esportivos, com reajustes médios de 4,35%. O resultado teria sido fortemente influenciado pelos modelos da Jeep, com grande participação na categoria e que viram reajustes de 7,20% na comparação entre julho e junho.

A Mercedes-Benz foi a segunda marca com o maior aumento de preços no mês passado, com seus modelos ficando em média 2,84% mais caros. Já entre as marcas que promoveram reduções nos preços praticados em julho, quem mais se destaca é a Fiat, com -1,95%, seguida pela Hyundai, -1,74%, e pela Renault, -1,39%. 

Usados: público busca levantar dinheiro vendendo o carro atual
Usados: recuperação mais rápida em relação ao mercado de carros novos 
Imagem: Agência Brasil
Assine a newsletter semanal do AUTOO!