Chevrolet desmente boatos sobre fim do Captiva

SUV importado México foi alvo de rumores a respeito de mudanças na fábrica onde é feito

Chevrolet Captiva Ecotec 2.4 2014 | Imagem: Divulgação

A Chevrolet desmentiu nessa semana os boatos que apontavam o fim da produção do SUV Captiva, que surgiram no México, onde é produzido, e que foram reproduzidos no Brasil. O modelo, que está há seis anos no mercado nacional, vende cada vez menos e sofre a limitação de cotas imposta ao México.

Os rumores sobre o fim do modelo surgiram após a GM anunciar mudanças na linha de produção de outros SUVs. O Equinox, por exemplo, estaria migrando para Ramos Arizpe enquanto o Cadillac SRX passaria a ser feito nos Estados Unidos.

Com a chegada do Equinox, o Captiva sairia de cena, principalmente porque a principal versão que saía da fábrica não existe mais, o Saturn Vue  - a marca foi fechada pela GM.

“Não há nenhum fundamento na especulação sobre o fim do Captiva. O veículo continua sendo produzido normalmente no México e vendido tanto no mercado local quanto nos mercados de exportação, incluindo o Brasil”, explica a curta nota divulgada pela fabricante.

Em queda

O Captiva chegou ao Brasil em setembro de 2008 com o objetivo de preencher uma lacuna na linha da Chevrolet que estava sendo aproveitada pela concorrência asiática há bastante tempo. O modelo desembarcou no país em duas versões, Ecotec e V6, esta com tração integral ou dianteira.

As vendas tiveram seu pico em 2009 e 2010, quando ele acumulou mais de 27 mil emplacamentos, mas começam a perder força em 2012. Neste ano, apenas 1.289 unidades haviam sido vendidas até agosto.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!