Chinesa Geely fica mais longe do Brasil

Importadores da marca decidem não retomar as atividades da fabricante em nosso país
Geely GC2

Geely GC2 | Imagem: Divulgação

Marca que tem um potencial enorme de crescimento na tecnologia e qualidade de seus modelos ao ser dona de fabricantes com elevada reputação no mercado global como a Volvo e a Lotus, a chinesa Geely não deverá voltar a operar tão cedo no Brasil.

O motivo é que a Gandini Participações e Representações, grupo brasileiro que até então concentrava as atividades de importação e distribuição da marca Geely no Brasil, anunciou que não retomará o comércio dos carros da marca chinesa por aqui. As operações, como você conferiu aqui, estavam suspensas há cerca de dois anos. A empresa brasileira também é responsável pelas atividades da Kia em nosso mercado há 26 anos, e agora pretende concentrar suas atividades na fabricante sul-coreana.

“Entendemos que depois de um longo período de paralisação do setor de veículos importados e, agora, renascendo sem a trava de 4.800 carros anuais imposta pelo programa Inovar-Auto, precisamos direcionar todos os nossos esforços na Kia Motors do Brasil, marca que já está consolidada e reconhecida pelos consumidores brasileiros”, explicou em comunicado para a imprensa José Luiz Gandini, presidente da empresa importadora.

A Geely também foi retirada da Abeifa, associação que reúne sobretudo os importadores e fabricantes de automóveis que até então somente traziam do exterior seus veículos, mas passaram a montá-los por aqui após exigências do extinto Inovar-Auto, regime automotivo que vigorou até o ano passado.

Sempre com uma participação muito pequena no mercado, a Geely nunca emplacou mais do que 100 carros/mês. Em 2015, ela encerrou o ano na 30ª posição com 651 unidades vendidas. Já em 2016 a empresa mantinha um ritmo de vendas semelhante, registrando um pico de 82 emplacamentos em março daquele ano. Dentre os poucos modelos que ganharam as ruas do Brasil destacam-se o simpático hatch GC2, que tinha visual inspirado em um urso panda, além do bem mais sisudo sedã EC7. 

Segundo informado em 2016, o grupo Gandini vai oferecer uma central de atendimento para os clientes por meio da qual eles poderão se orientar sobre serviços e a cobertura da garantia, que seguirá inalterada.  

Assine a newsletter semanal do AUTOO!
Tags