Co-fundadora da Baterias Moura morre aos 88 anos

Maria da Conceição Viana Moura ajudou na criação de uma das maiores empresas do Nordeste
Acima a empresária Maria da Conceição Viana Moura

Acima a empresária Maria da Conceição Viana Moura | Imagem: Divulgação

A assessoria de imprensa do Grupo Moura informou neste fim de semana o falecimento de Maria da Conceição Viana Moura, fundadora, ao lado do marido Edson Mororó Moura, de uma das maiores empresas do Nordeste brasileiro. O casal ajudou a construir a história da Economia de Pernambuco nos séculos XX e XXI, além de ter sido responsável por moldar ações de referência na área de responsabilidade social corporativa no Nordeste. Em 1957, Maria e Edson fundaram a Baterias Moura na cidade de Belo Jardim, localizada a 184 quilômetros de Recife (PE), semeando o que seis décadas depois se tornaria o maior polo de produção de baterias da América do Sul. Maria da Conceição faleceu aos 88 anos na madrugada do último sábado (23) e a empresa não informou em seu comunicado a causa da morte.

Engenheira química por formação e recifense de nascimento, a empresária co-liderou o desafio de produzir baterias automotivas no semiárido nordestino no final da década de 1950. Após os primeiros anos de implantação e aprimoramento do processo industrial da Bateria Moura, Conceição assumiu a área administrativa da filial da empresa na capital pernambucana. Em 1966, participou de todo o trabalho de pesquisa de máquinas, equipamentos e transferência de tecnologia nos Estados Unidos e Europa, para, no ano seguinte, viabilizar a inauguração da nova e moderna fábrica da Baterias Moura em Belo Jardim – que permanece produtiva e em funcionamento até os dias atuais.

Conceição Moura gerenciou a expansão comercial da companhia, da participação nas principais feiras de autopeças à abertura de novas filiais nas maiores capitais do País. E também acompanhou as tratativas comerciais desenvolvidas fora do Brasil. Foram décadas comandando, lado a lado, com Edson Mororó Moura, os rumos da empresa e preparando a segunda geração da Família para assumir a gestão da companhia. No final da década de 1990, a empresária assumiu integralmente a missão de consolidar ações de responsabilidade social da Moura, com foco na promoção à Cultura, incentivo ao Empreendedorismo e fortalecimento da Educação de Belo Jardim.

Em 1999, Conceição abraçou a causa do Programa Qualidade Total na Educação – 5S nas Escolas, que passou a ajudar na gestão escolar, transmitindo as normas de Gestão pela Qualidade implementadas pela Moura nas unidades de ensino municipais de Belo Jardim. No ano 2000, foi a vez da criação da Associação de Recicladores e Artesãos, que retirou dezenas de pessoas dos aterros sanitários da cidade. Em 2006, foi inaugurado o Centro de Artesanato Tareco & Mariola, proporcionando a comercialização e o resgate do trabalho artesanal de Belo Jardim. Além dessas iniciativas, coordenou os projetos do Coral Moura, Orquestra Viva, Estado de Arte, Junior Achievement e Projeto Semear, que, juntos, integravam o antigo Programa Tareco & Mariola.

Em 2014, o seu trabalho de transformação social foi consolidado na criação do Instituto Conceição Moura, uma organização de investimento social privado, sem fins lucrativos, concebida e mantida pelo Grupo Moura, promovendo ações e projetos de Arte e Cultura, Educação e Meio Ambiente. Tem como principal objetivo tornar Belo Jardim uma cidade melhor para se viver. Anualmente, 10 mil pessoas são beneficiadas pelo Instituto. 

 

Os empresários Edson Mororó Moura e Maria da Conceição Viana Moura
Os empresários Edson Mororó Moura e Maria da Conceição Viana Moura
Imagem: Divulgação