Comfort, Limited, Platinum ou Ultimate: por qual versão optar do novo Hyundai Creta?

SUV compacto chega ao mercado com opções de motor 1.0 turbo e 2.0 16V
Hyundai Creta 2022

Hyundai Creta 2022 | Imagem: Divulgação

Atualmente o segundo SUV compacto mais vendido no Brasil, o Hyundai Creta segue firme colhendo os frutos da boa reputação que conquistou no país.

Lançada nesta semana, a nova geração do SUV corrigiu alguns pontos onde o Creta anterior deixava a desejar, como a ausência de um motor turbo mais eficiente e a falta de assistentes de condução.

Ao todo, a nova geração do Hyundai Creta chegará ao mercado em quatro versões, a maioria delas trazendo o 1.0 turbo sob o capô.

Importante reiterar que o Creta atual seguirá em linha somente na versão Action e com motor 1.6 16V, servindo de opção aos clientes da marca que desejarem um SUV por menos de R$ 100 mil. 

Infelizmente, segundo a Hyundai nos explicou, até o momento não está nos planos oferecer o Creta Action ao público PcD ou criar algum catálogo do modelo específico aos consumidores que podem realizar a compra com isenção. A tendência, ao menos por enquanto, é que a Hyundai atenda algumas vendas diretas em caráter pontual.  

De acordo com estimativas da fabricante, a tendência é de que a migração do público em geral para a nova geração do Creta será massiva.

A Hyundai acredita que o modelo atualizado deverá responder por 70% dos emplacamentos do SUV a partir de agora.

Também em resposta ao AUTOO, a marca sul-coreana revelou que prevê uma participação de 80% nas vendas do novo Creta para as versões 1.0 turbo, em linha com o que observamos no mercado, quando analisamos os concorrentes diretos do SUV.   

Vamos, então, para uma análise das quatro versões do novo Creta 2022:  

Comfort 1.0 Turbo - R$ 107.490 (recomendação: boa compra) 

Certamente o Creta 1.0 TGDI Comfort surge como a pedida mais racional dentro da gama, com preço convidativo e R$ 13.000 mais barato do que a configuração imediatamente superior. 

O que é interessante no Creta Comfort é que a Hyundai não optou por simplificar demais a versão para conseguir melhor custo-benefício. 

De série, ele já é equipado com 6 airbags, controles de tração e estabilidade, central multimídia com câmera de ré, limitador e controlador de velocidade, entre outros itens. 

Podemos dizer que, de um ponto de vista pragmático, só falta mesmo ao Creta Comfort o sensor de estacionamento de série, que é oferecido somente a partir da versão Limited. 

Importante destacar o ótimo compromisso entre desempenho e economia de combustível proporcionado pelo 1.0 TGDI associado ao câmbio automático de 6 marchas. 

De acordo com os testes da fabricante, o SUV assim configurado acelera de 0 a 100 km/h em 11,5 segundos, tempo semelhante ao do Chevrolet Tracker 1.0 Turbo. 

Já as médias de consumo do Creta sobrealimentado apontam até 8,3 km/l na cidade e 8,7 km/l na estrada com etanol. As parciais com gasolina ficam em 11,6 e 12 km/l, respectivamente.  

Creta Limited 1.0 Turbo - R$ 120.490 (recomendação: opte somente se a conectividade for algo indispensável ao seu perfil) 

A ampla distância financeira que separa as versões Comfort e Limited exige que você pondere alguns pontos antes de optar pelo catálogo mais caro. 

Talvez a principal diferença entre as duas configurações fique para o fato de que a partir da versão Limited o novo Creta 2022 é equipado com o sistema de serviços conectados Bluelink. 

Se a tecnologia for preponderante para você, aí sim talvez a quantia adicional se justifique. 

Fora isso, encontramos no Creta Limited alguns diferenciais estéticos, como as rodas de liga leve aro 17” e o volante com revestimento de couro. 

Entre os itens funcionais, destaque para o sensor de estacionamento, chave presencial, ar-condicionado automático digital, carregador de smartphones por indução e retrovisores com rebatimento elétrico. 

Creta Platinum 1.0 Turbo - R$ 135.490 (recomendação: melhor escolha dentro da gama, para quem deseja o Creta mais equipado) 

Para quem não abre mão de todos os recursos de conforto, comodidade e estilo, é mais indicado optar pela versão topo de linha do novo Creta 2022 com motor 1.0 turbo. 

Além de todos os itens do Creta Limited 1.0 Turbo, o modelo na versão Platinum acrescenta o teto solar panorâmico e a central multimídia com tela de 10,25”, dois recursos que elevam a sofisticação interna. 

No campo da segurança e tecnologia, destaque também para o sistema de câmeras 360º e o monitoramento de pontos cegos nos retrovisores externos. 

Dentro do segmento, entretanto, o Chevrolet Tracker Premier 1.0 Turbo (R$ 127.390) entrega tanta tecnologia quanto o Creta Platinum, com destaque para o alerta de colisão com frenagem autônoma e assistente de estacionamento, por um preço amplamente melhor. 

Em paralelo, o Volkswagen T-Cross Comfortline (R$ 130.190) também é mais barato em relação ao Creta Platinum e seu principal atributo reside na maior potência e torque do 1.0 TSI, repercutindo também em melhor desempenho. 

Creta Ultimate 2.0 16V - R$ 146.990 (recomendação: melhor olhar para os concorrentes...) 

A opção topo de linha do novo Creta deve ser analisada com cuidado. 

Apesar de ter realizado uma atualização profunda no motor 2.0 16V flex aplicado até a geração anterior do SUV, chega a ser um contrassenso um carro moderno, como é o caso do novo Creta — sobretudo em seu catálogo mais caro — oferecer um tipo de motor que já está sendo abandonado pela maioria dos concorrentes. 

É fato que o 2.0 oferece bem mais potência (167 cv) e torque (20,6 kgfm) do que o 1.0 TGDI, permitindo ao Creta Ultimate 2022 acelerar de 0 a 100 km/h em 9,3 segundos e alcançar médias de 10,9 km/l na cidade e 12,4 km/l na estrada com gasolina. 

A grande questão é que, se olharmos para a categoria dos SUVs compactos, vamos encontrar o VW T-Cross Highline (R$ 139.890) com seu interessante 1.4 turbo sob o capô. Ele entrega potência menor (150 cv) em relação ao Creta 2.0, mas é muito superior em torque (25,5 kgfm), impulsionando o VW de 0 a 100 km/h em competentes 8,7 segundos. 

Pelo preço, o Creta Ultimate traz um nível de equipamentos coerente com sua proposta, como os faróis full-LED, rodas aro 18” e o pacote Hyundai SmartSense composto por alerta de colisão com frenagem autônoma para pedestres, ciclistas e outros veículos, assistente de permanência em faixa, farol alto automático e controle de cruzeiro adaptativo. 

Novamente, voltando à categoria de maneira geral, um Chevrolet Tracker Premier 1.2 Turbo traz, assim como o Creta Ultimate, os faróis full-LED, o alerta de colisão e acrescenta o assistente de estacionamento. O Chevrolet fica devendo o assistente de permanência em faixa, o farol alto automático e o controle de cruzeiro adaptativo, mas custa R$ 10.500 a menos, uma economia e tanto. 

Em termos de desempenho, o Tracker 1.2 turbo não se equivale ao T-Cross 1.4 TSI, mas consegue respostas bem semelhantes ao Creta 2.0. 

Apesar de todas as virtudes inerentes ao projeto do Hyundai, como a cabine ampla e confortável, além do porta-malas para 422 litros, a grande questão é que o Creta Ultimate torna-se um tanto quanto anacrônico ao trazer sob o capô um propulsor que está longe de surpreender. 

Curioso que, ao olharmos para o exterior, sobram opções de motores bem mais avançados que a Hyundai poderia aplicar sob o capô do Creta nacional. Um bom exemplo é o 1.6 TGDI, que integra a mesma família Smartstream do 2.0 flex. 

O propulsor está presente, entre outros modelos, no Hyundai Kona vendido na Europa e serviria para deixar o novo Creta nacional muito mais competitivo considerando o valor cobrado na versão topo de linha avaliada aqui. 

Uma pena que o pacote de assistentes de condução para o Creta 2022 seja oferecido apenas nesta versão, tornando praticamente obrigatória sua escolha para quem faz questão de mais tecnologia embarcada.

Hyundai Creta 2022

Hyundai Creta 2022