Cupê de quatro portas, Arteon revela uma nova Volkswagen

Sucessor do CC, modelo de luxo tem visual mais instigante, mas uma missão difícil: bater seus rivais alemães, incluindo a irmã Audi
Volkswagen Arteon 2018

Volkswagen Arteon 2018 | Imagem: Divulgação

Walter de Silva, um dos mais famosos designers automobilísticos do mundo, bancou uma aposta há uma década, a de que os carros da Volkswagen deveriam ser muito parecidos. A ideia era criar uma identidade ‘Volkswagen’ primeiro para depois investir em personalidades diferentes.

Não foi fácil ver a concorrência se esbaldar em ideias diferentes enquanto os carros da VW permaneciam sempre uma variação do outro, mas agora parece que essa nova fase enfim chegou com o Arteon.

O novo cupê de quatro portas da marca já anuncia mudanças em seu nome. Ele deveria ser a terceira geração do CC, modelo que nasceu como Passat CC, mas a Volks resolveu rebatizá-lo e criar, assim, uma nova linhagem.

E que automóvel bem resolvido. As marcas da VW estão presentes, mas ele é mais insitigante, com uma frente larga e cheia de reentrâncias. Placa de identificação e logotipo, por exemplo, flutuam sobre a grade enquanto a lateral exibe imensas rodas com pneus de perfil baixo. Na traseira, as lanternas alongadas são a maior referência ao estilo da marca, mas a inscrição ‘Arteon’ na tampa do porta-malas mostra que a Volks quer chamar a atenção.

Apesar disso, o Arteon não é uma surpresa afinal é baseado no conceito Sport Coupe Concept GTE, mostrado há dois anos. Como um bom ‘cupê-sedã’ (ou seria um sedã cupê?), o novo carro da VW oferece bom espaço interno, mas a montadora diz ser o melhor da categoria – o porta-malas, por exemplo, comporta 563 litros de bagagem e o entreeixos deixa implícito que não haverá problemas para os cinco ocupantes: são nada menos que 2,84 metros.

Briga com gigantes

A Volkswagen oferecerá na Europa nada menos que seis motores para o Arteon, três a gasolina e três a diesel. São todos 4 cilindros em linha com injeção direta de combustível e turbo, e uma variedade de potência que vai de 150 cv a 280 cv. A transmissão é de dupla embreagem com 7 marchas e a tração, integral desde a versão de entrada. E, claro, como modelo ‘premium’, o Arteon vem o que de mais avançado em auxílio eletrônico para o motorista, incluindo o ACC, controle de cruzeiro adaptativo painel de ‘vidro’ e assistente de emergência.

Na Europa, ele chegará nos próximos meses a partir de 35 mil euros e é possível que a Volks lance o Arteon no Brasil no ano que vem, mas nem espere vê-lo em grande número. Por melhor que seja, ele tem uma missão daquelas, afinal a Volks tem de enfrentar nada menos que Mercedes-Benz, BMW e a própria Audi, sua rival interna. E aí não basta um belo design apenas.