Economizar com carro flex requer muito mais cuidados

Antes de olhar somente os preços, é necessário analisar a receptividade do seu carro aos combustíveis
Gasolina

Gasolina | Imagem: Reprodução internet

Em tempos de postos de combustíveis sem uma gota de etanol, gasolina ou diesel para comercializar, todo mundo se esforça para poupar o pouco que ainda pode restar no tanque do carro.

Mas no caso dos carros flex - que podem rodar com etanol, gasolina ou qualquer mistura de ambos - garantir que o veículo se torne mais econômico requer muito mais do que uma comparação simples dos valores na bomba de combustível.

Muitas pessoas têm o costume de parar no posto e, na grande maioria das vezes, apenas considerar a diferença de preço entre a gasolina e o etanol para decidir qual combustível utilizar no momento. Nesse caso, muitas vezes a conhecida conta de multiplicar o preço da gasolina por 0,7 e comparar o resultado com o valor do etanol ainda é o critério decisivo para muita gente.

Mas segundo Renato Romio, chefe da divisão de motores e veículos do Centro de Pesquisa do Instituto Mauá de Tecnologia, existe outra coisa muito mais importante em que é preciso ficar atento (a). De acordo com o professor, é necessário antes de tudo analisar as respostas do seu automóvel utilizando cada um dos combustíveis.

“Você deve medir o consumo do seu carro no percurso que você roda constantente com etanol e dividir a média obtida pelo consumo nas mesmas condições realizado com gasolina. O resultado dessa conta é o que deve ser levado em consideração no momento de decidir qual combustível abastecer. Provavelmente esse valor será superior aos 70% geralmente considerado para essa decisão”, explica Renato.

Tomando como exemplo um Fiat Argo 1.0 para explicar a recomendação do professor, o consumo oficial do modelo com etanol é de 9,9 km/l em uso urbano, já com gasolina a média no mesmo percurso fica em 14,2 km/l. Dividindo a média com etanol pela média com gasolina, teremos um resultado de 0,69. Então, no caso do Argo 1.0 usado como exemplo, é indicado usar etanol já que seu motor mostra-se mais eficiente com esse combustível. Só seria aconselhável abastecer o hatch com gasolina caso o resultado ficasse acima de 0,70. 

O professor também acrescenta algumas orientações mais gerais que colaboram para o uso mais racional do combustivel, tais como:

- Sempre fazer a manutenção, checando principalmente a pressão dos pneus e a troca das velas de ignição.

- Um fator que contribui muito para a economia de combustível é a forma com que a pessoa dirige. De uma maneira geral, quanto mais devagar e nas marchas mais longas (4ª, 5ª, 6ª, etc.), o carro será mais econômico.

- Outra dica importante: os carros mais modernos têm um indicador de trocas de marchas no painel. Se o motorista seguir as indicações corretamente, ele conseguirá ter a máxima economia possível. 

- Se a intenção for economizar combustível, o melhor mesmo é não ligar o ar-condicionado quando possível.