Não é só de carros de Changhe e Lifan que a Effa vive. A empresa passa a importar para o Brasil os caminhões (também chineses) Jiangling N601 (três toneladas) e N900 (quatro toneladas), já à venda nas concessionárias da marca, segundo a Effa. “Estamos iniciando as importações dos seus caminhões, mas pretendemos ampliar a linha JMC no Brasil, importando outros modelos no futuro”, promete Eduardo Effa, presidente da empresa.

Os dois caminhões trazem de série cabine escamoteável, vidros e portas com acionamento elétrico, ar-condicionado, direção hidráulica, espelho retrovisor interno anti-ofuscante, rádio com CD player e barras de proteção contra impactos laterais. O motor 2.8 turbodiesel de 116 cv e 29 kgfm (fornecido pela japonesa Isuzu) também é comum aos dois modelos, enquanto a transmissão é sempre manual, de cinco marchas.

A diferença entre os dois está na largura (são 2.040 mm no N900 contra 1.880 mm no N601) e na altura (2.280 mm contra 2.140 mm). E a capacidade de carga superior do N900 reside no fato de este ter relação mais curta de marchas e suspensões recalibradas. O comprimento de 5.955 mm e a distância entre-eixos de 3.360 mm são iguais em ambos.

A expectativa da Effa Motors é vender cerca de 3.000 unidades dos dois veículos no primeiro ano. Os preços sugeridos para os caminhões N601 e N900 partem de R$ 59.000 e R$ 65.000, respectivamente.

Rodrigo Mora

|

Veja mais notícias da marca