Em breve com motor turbo, Renault Captur é um SUV a ser considerado neste ano

Além da evolução mecânica, modelo deverá ganhar aprimoramentos estéticos e no nível de equipamentos
Renault Captur 2020

Renault Captur 2020 | Imagem: Divulgação

É fato que o Renault Captur sempre contou com uma presença discreta no ranking de vendas do mercado brasileiro. Se, na Europa ocidental, o Captur é um SUV bem mais sofisticado, compartilhando a plataforma com o Clio, no Brasil e em alguns mercados emergentes como a Rússia, a solução da Renault para viabilizar comercialmente o Captur passou pela adoção da mesma plataforma mais simples (B0) do Duster. Isso não impediu, contudo, que a marca francesa colocasse em nosso mercado uma alternativa sofisticada ao Duster, com ênfase no design, melhor acabamento interno e capaz de preservar traços importantes do SUV compacto, como o excelente porta-malas.

A partir deste ano, podemos dizer que o Captur vai ganhar novos elementos para realçar sua proposta de “premium” em relação ao Duster, sobretudo por conta da adoção do motor 1.3 TCe. Desenvolvido de forma conjunta pela Mercedes-Benz e a Renault, o 1.3 TCe hoje é aplicado em modelos compactos da fabricante alemã, como a gama Classe A, e conta com turbo, injeção direta e um cuidado especial no projeto para maximizar a eficiência. Em um cenário onde os principais SUVs compactos e médios do mercado fizeram — ou estão concretizando — a migração para os motores sobrealimentados, a evolução no caso do Captur chegará em boa hora.

Aqui no Brasil, o 1.3 TCe será importado e ainda não sabemos se ele se tornará bicombustível nos modelos nacionais da Renault. Com isso, é cedo para falarmos em números de potência e torque. Se tomarmos como base alguns mercados europeus, podemos apostar em algo na casa dos 160 cv e 25 kgfm de torque, porém tudo vai depender da calibração que a Renault adotará por aqui, priorizando economia de combustível (moderando potência e torque) ou priorizando desempenho. De qualquer forma, é quase certo que o novo motor vai trabalhar por aqui em conjunto com a transmissão automática CVT, uma importante aliada na redução do consumo bem como para a melhora na performance.

Todas as novidades que o Renault Captur vai estrear neste semestre por aqui já se tornaram conhecidas com a apresentação do facelift para o SUV no mercado russo. Por lá, onde é a grafia do nome é alterada para Kaptur por conta do alfabeto cirílico russo, o SUV recebeu uma nova grade dianteira, faróis de LED dependendo da versão, rodas de liga leve com 17” de diâmetro com novo desenho, além de mais opções de cores para a carroceria, bem como a opção do teto com pintura contrastante (prata ou preto). 

Renault Kaptur russo com o facelift que também será aplicado ao SUV no Brasil
Renault Kaptur russo antecipa o facelift que também será aplicado no SUV brasileiro
Imagem: Divulgação

O interior passou a contar com acabamento aprimorado, assim como a central multimídia passou a ser a Easy Link, mais sofisticada, oferecendo tela de 8”. Todas as melhorias deverão ser implementadas no Renault Captur nacional. 

É fato que a questão do conjunto mecânico sempre foi um Calcanhar de Aquiles para o Captur e alguns modelos da Renault. O antigo 2.0 16V associado ao câmbio automático de 4 marchas, que figurou nas versões mais caras do Captur, penalizada o SUV com um consumo demasiadamente elevado e o desempenho ficava aquém do desejado para um carro moderno. O motor 1.6 SCe e o câmbio CVT, por sua vez, trouxeram mais racionalidade ao Captur, contudo ele ainda está longe de brilhar no quesito mecânico. Futuramente, com o 1.3 turbo sob o capô, a situação do modelo se tornará bem mais confortável por aqui. 

Por fim, é interessante pontuar que o Captur se sobressai frente a muitos SUVs compactos em especial no quesito dimensões. Com 4,32 m de comprimento, 1,81 m de largura e 2,67 m de entre-eixos, o Renault equipara-se ao Jeep Compass, um SUV classificado como médio no Brasil. O modelo da Jeep conta, respectivamente, com 4,41 m, os mesmos 1,81 m de largura e 2,63 m de entre-eixos. Analisando o porta-malas, o Renault com seus 437 litros também supera os 410 litros do Compass. 

Hoje em dia com valor tabelado em R$ 113.990 na versão Bose, a única em linha, o Captur deverá permanecer na mesma faixa de preço e incluir novos catálogos com a estreia da motorização turbo. Certamente, quando a nova linha do SUV chegar ao mercado, o Captur se tornará uma interessante opção. Em especial para quem tem família mais numerosa, precisa de um bom compartimento de bagagens e não abre mão de bom desempenho com eficiência, o futuro Captur 2022 será um modelo que pode valer uma visita à concessionária. A previsão é que o Captur atualizado chegue ao mercado em breve, ainda neste semestre. Vamos acompanhar de perto as novidades acerca do SUV e traremos todos os detalhes aqui no AUTOO. Fique de olho!

Unidades de teste pouco camufladas sinalizam que a estreia do Captur turbo pode ocorrer em breve no Brasil
Unidades de teste do novo Captur turbo no Brasil já contam com o logotipo "TCe" na tampa do porta-malas 
Imagem: InsideCars