Que a Fiat Toro obteve um sucesso inegável no mundo das picapes isso ninguém pode negar. A proposta arrojada da picape de combinar o comportamento e o conforto de um carro de passeio com a possibilidade de carregar até uma tonelada de carga na caçamba assim como nas congêneres de médio porte fizeram da Toro um tipo de veículo que muitas montadoras gostariam de ter em suas gamas.

Em abril, por exemplo, a Toro registrou notáveis 5.141 unidades vendidas. Se fosse uma picape média, ela superaria com folga as 3.221 unidades que a Toyota Hilux emplacou no mesmo mês. Ao abandonar o chassi e abraçar um monobloco mais robusto e contemplar até mesmo uma suspensão traseira do tipo multibraço enquanto as picapes médias ainda trabalham com o bom e velho eixo rígido, a Toro nos convida a uma reflexão: será que grande parte dos consumidores de picapes está enxergando no modelo da Fiat um veículo mais adequado às suas necessidades?

Outro modelo recente que traça um paralelo muito interessante com a picape é o sedã Volkswagen Virtus.

Se no caso da Toro a picape se destaca pela boa capacidade de carga e o conforto, o sedã mescla o espaço interno que não deve em nada para um Toyota Corolla ou um Honda Civic com um amplo porta-malas capaz de acomodar 521 litros de bagagem, bem melhor do que os 470 litros do sedã médio líder em vendas.

O ponto que certamente mexe mais com quem está pesquisando um carro novo para comprar e coloca na lista de modelos a Fiat Toro ou o VW Virtus é o preço.

Por R$ 142.990 você já estaciona uma Toro na garagem em sua configuração mais sofisticada, no caso a Volcano. Por esse valor, está na picape o motor 2.0 turbodiesel atuando em conjunto com um câmbio automático de 9 marchas e sistema de tração integral. Além disso, figura na picape a central multimídia com câmera de ré, sensores de chuva e estacionamento, acendimento automático dos faróis, controles de tração e estabilidade, chave presencial, capota marítica e revestimento para a caçamba, dentre outros.

A Toro busca tanto se assemelhar a um carro convencional ou um SUV e oferece até teto solar entre os opcionais. Por falar neles, uma pacote interessnte é o “Pack Safety”, que custa R$ 5.990 e acrescenta à picape o revestimento interno de couro e os 7 airbags.

Se levarmos em conta os R$ 142.990 da Toro Volcano diesel ou até mesmo o valor de R$ 148.980 da picape com o Pack Safety, ela ainda sim é muito mais competitiva em relação às versões que miram o custo-benefício em picapes médias.

Uma Nissan Frontier, por exemplo, parte de R$ 152.390 em sua nova geração na opção SE 4x4, já com motorização 2.3 biturbo diesel e câmbio automático de 7 marchas, porém está longe de oferecer o mesmo nível de equipamentos que a Toro Volcano. A Frontier SE traz tecido nos bancos e apenas um rádio de série. A líder Toyota Hilux recebeu a interessante versão SR Challenge na linha 2018, mas é tabelada em R$ 162.800, portanto R$ 19.810 mais cara que a Toro Volcano sem opcionais.

 
 
Fiat Toro 2018
 
Fiat Toro 2018
Fiat Toro 2018
Fiat Toro 2018
 
Fiat Toro 2018
Fiat Toro 2018
Volkswagen Virtus 2018
 
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
 
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
 
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
 
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
 
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
 
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
 
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
 
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
 
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
Fiat Toro 2018
 
Fiat Toro 2018
Fiat Toro 2018
Fiat Toro
 
Fiat Toro
Fiat Toro
Fiat Toro
 
Fiat Toro
Fiat Toro
Fiat Toro 2019
 
Fiat Toro 2019
Fiat Toro 2019
 
 

Na hora de pesar o custo-benefício de um Volkswagen Virtus, por exemplo, ele é bem mais interessante que um Toyota Corolla. Enquanto o sedã japonês parte de R$ 89.990 na versão de entrada GLi Couro, por R$ 85.590 você adquire um Virtus Highline com todos os opcionais disponíveis. Com isso, o VW sai de fábrica com o painel digital com funcionamento integrado com a central multimídia, navegador e câmera de ré integrados, detector de fadiga, sensores de chuva e estacionamento dianteiro e traseiro, revestimento interno de couro, rodas de liga leve aro 17”, dentre outros. O Corolla GLi sequer chega perto de oferecer uma lista tão completa, sendo que só se diferencia mesmo pelos 7 airbags de série enquanto o VW traz 4 bolsas infláveis. O Virtus Highline, assim como o Corolla GLi Couro, conta com os controles de tração e estabilidade de série.

Com uma concepção moderna e utilizando uma das plataformas mais modernas dentro da Volkswagen, o Virtus se destaca em atributos fundamentais na hora de criar um bom produto, no caso o nível de segurança oferecido aos usuários, eficiência em seu conjunto motor e câmbio e aproveitamento do espaço interno.

Com turbo e injeção direta, o competente motor 1.0 TSI instalado sob o capô do Virtus oferece praticamente o mesmo torque dos propulsores 2.0 de aspiração natural presente em grande parte dos sedãs médios, portanto o VW não fica devendo em desempenho e ainda tem a vantagem do baixo consumo no dia a dia.

Uma análise do histórico de Toro e Virtus mostra que o público de fato está vendo neles ótimas alternativas aos modelos de segmentos superiores, porém mais caros.

No caso da picape, a versão topo de linha da Toro é a mais vendida. Segundo levantamento do Autoo, a configuração Volcano diesel automática soma já 1.551 unidades emplacadas desde o lançamento até abril deste ano. Logo depois aparece a versão de entrada Freedom flex, com 1.454 emplacamentos no período.

O Virtus, por sua vez, também registra boa procura em suas versões 1.0 TSI automáticas. Do início da produção no fim de 2017 até o mês passado, a versão Highline acumula 977 emplacamentos, seguida pela Comfortline com outros 1.174. A versão 1.6 manual, por sua vez, foi a escolha de 1.711 consumidores, o que mostra que as opções mais caras do Virtus ainda prevalecem como as mais queridas, sobretudo pela demanda cada vez maior por carros automáticos.

Em abril, o Virtus surpreendeu ao registrar 3.862 unidades vendidas, o que o colocou logo após o Chevrolet Prisma no ranking de vendas dos sedãs compactos no mês em questão. Esse volume ainda está longe das 5.664 unidades comercializadas do Toyota Corolla também em abril, mas já supera com folga, por exemplo, as 2.764 do Honda Civic ou as 1.645 do Chevrolet Cruze também no mês passado.

Logo, pelo menos no mundo das picapes e dos sedãs e carros de orientação mais familiar, Fiat Toro e Volkswagen Virtus convidam você a pelos menos fazer um test-drive em uma concessionárias antes de pagar mais por um modelo de segmento superior. A bordo da dupla, você certamente estará em carros muito interessantes.

César Tizo

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo |