Não, ele não é flex, também não é nacional e nem é vendido por uma das quatro marcas mais tradicionais no Brasil. Mesmo assim, o i30, da Hyundai, quer ser líder de um dos segmentos mais conhecidos no país, o de hatches médios, hoje dominado pelo idoso Astra, da Chevrolet.

E pouca gente duvida que ele possa conseguir isso. Os coreanos estão aproveitando que os grandes fabricantes de automóveis andam nocauteados pela crise econômica mundial e avançam em busca de novos clientes. Na bagagem, carros com design atraente, pacote de equipamentos generosos, longas garantias e, principalmente, preço. O i30 se enquadra nesse perfil.

O visual, aliás, não tem vergonha de ter sido inspirado no BMW Série 1, um hatch premium – até os anúncios da marca exaltam isso. O melhor do i30 nem é isso. O modelo é grande, embora não pareça por fora. O espaço para pernas no banco traseiro é melhor que o de muitos sedãs. O acabamento é de bom gosto e nem avaliamos a versão com bancos de couro.

Pelo aspecto técnico, o hatch coreano não comete nenhuma gafe: tem motor 2.0 potente, de 145 cv com comando variável de válvulas, suspensão traseira multilink, direção com assistência elétrica, ABS, airbags de sobra, ESP, e itens de conforto como ar-condicionado com comando digital e teto solar elétrico. Talvez o câmbio automático pudesse oferecer cinco marchas em vez de quatro, mas há o recurso de travamento de marchas que ajuda em situações como subida de serras.

Prazeroso de dirigir

A Hyundai mostrou o i30 aos jornalistas especializados na pista de testes da Pirelli, no interior de São Paulo. Por isso, o contato com o carro foi curto demais para tirar conclusões. De certo, o carro é bem confortável, tem posição de dirigir alta e bancos que acomodam bem. È possível se encontrar no modelo rapidamente e a visibilidade é clara em todos os sentidos – os retrovisores são grandes e podem ser rebatidos quando o carro está estacionado.

Apenas a versão com câmbio automático estava disponível – o manual ainda chegará às lojas em julho. A saída do i30 é ágil e você até estranha o salto que ele dá, o câmbio tem trocas não tão suaves como esperávamos e as retomadas pareceram um pouco lentas. Como dissemos, são impressões iniciais num ambiente muito diferente do dia a dia. A Hyundai diz que disponibilizará o modelo para uma avaliação mais longa posteriormente.

Se o câmbio é regular, o volante e a suspensão agradaram. O comportamento da i30 em curvas é digno dos melhores modelos do gênero. O carro é silencioso e absorve bem as irregularidades do piso sem ser muito macio, como gostam os fãs de hatches.

Em suma, o i30 passou a boa impressão de um carro fácil de dirigir e de usar seus recursos. Não é preciso mais que alguns minutos para estar à vontade a bordo dele.

Um novo Azera?

O presidente do grupo CAOA, Carlos Alberto de Oliveira Andrade, não foi nem um pouco contido sobre a meta de vendas do i30 – ao menos 2 000 carros por mês. Houve gente na própria empresa que falou em 3 000 unidades. Soa como exagero, mas basta lembrar que a Hyundai vende 2 000 Tucson por mês e já emplaca mais de 1 000 Azeras em média nos últimos dois meses. E são modelos mais caros que o hatch.

As chances de isso acontecer são grandes porque trata-se de um segmento um tanto maltratado pelas grandes marcas. O líder, como dissemos, o Astra, está no mercado há mais de 10 anos e nem compete diretamente com os demais. O 2º colocado é o Golf, que é contemporâneo do próprio Chevrolet. E os novos produtos do segmento não mudaram isso: o C4 Hatch ainda galga postos, o Vectra GT não acrescentou muito e o novo Focus, o mais promissor, depende da vinda do motor 1.6 Flex para mudar seu panorama.

Talvez esteja aí o ponto mais delicado no i30, o fato de não ser bicombustível. A falta dessa opção – ainda mais quando todos os concorrentes terão (falta apenas o Focus) –
 pode ser o argumento desfavorável do modelo coreano. Mas a Hyundai certamente tem uma carta na manga: o i30 chegou com preço mais baixo que seus rivais, porém, acredita-se que esses valores podem cair ainda mais e aí não há motor flex que compense um desconto agressivo.

Ficha técnica

Hyundai i30 2009 GLS 2.0 16V gasolina automático 4p
Preço R$ NaN (08/2019)
Categoria Hatch médio
Vendas em 2017 36 unidades
Motor 4 cilindros, 1975 cm³
Potência 143 cv a 6000 rpm (gasolina)
Torque 19 kgfm a 4600 rpm
Dimensões Comprimento 4,245 m, largura 1,775 m, altura 1,48 m, entreeixos 2,65 m
Peso em ordem de marcha 1305 kg
Tanque de combustível 53 litros
Porta-malas 380 litros
Veja ficha completa

Publisher do AUTOO, é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier | http://www.jcceditorial.com.br/