Inédito City hatch deve substituir o Fit em alguns mercados: e o Brasil, como fica?

Opção de carroceria dois volumes do City deverá ser lançada ainda neste ano na Ásia
Projeção de Kleber Silva para o City hatchback baseado na nova geração do sedan

Projeção de Kleber Silva para o City hatchback baseado na nova geração do sedan | Imagem: Kleber Silva

Que o Honda Fit é um modelo de inegável sucesso no Brasil isso é incontestável. Contudo, algumas informações que começaram a circular no exterior recentemente dão conta de que a fabricante japonesa não desenvolveu uma variante hatch baseada na nova geração do City por acaso: segundo essas notícias de bastidores, o City hatch poderia substituir o Fit em alguns mercados na medida em que o projeto do monovolume completamente renovado tornou-se sofisticado (e caro) para ser comercialmente viável em alguns países.

É fato que o Honda Fit em sua quarta geração deu um salto considerável sobretudo na parte mecânica. Na Europa, por exemplo, somente a sua nova configuração híbrida será oferecida. O modelo também foi beneficiado pela presença dos assistentes de condução presentes no pacote Honda Sensing, que engloba o controle de cruzeiro adaptativo, sistema de frenagem para mitigação de colisão, assistente de permanência em faixa e alerta de invasão de pista, entre outros recursos.

Mas como fica o Brasil nessa história?

A Honda aqui no Brasil sempre adotou uma postura de não comentar sobre seus futuros lançamentos e projetos, logo qualquer informação oficial nesse momento é algo difícil de ser obtida junto à fabricante.

Porém, sabendo que no registro oficial dos seus futuros aqui no Brasil figura não só as opções hatch e sedan do novo City bem como o Fit de quarta geração, é muito provável que a Honda mantenha o monovolume em linha no país até mesmo por conta do legado que o Fit construiu no Brasil.

O que poderá ocorrer, como nos deixam claro as imagens de patentes, é que a Honda ofereça o Fit aqui no Brasil apenas em configuração mais cara ou talvez até mesmo somente na configuração de apelo aventureiro Crosstar.

Quarta geração do Honda Fit em sua opção aventureira Crosstar oferecida no Japão
Quarta geração do Honda Fit em sua opção aventureira Crosstar oferecida no Japão
Imagem: Divulgação

Com isso, caberia ao City hatchback (que, muito provavelmente, deverá ter um nome próprio) atuar em um segmento de preço mais acessível, mirando hatches compactos premium como o VW Polo, Toyota Yaris, entre outros. Ele poderá não ser tão versátil como o Fit, mas, tomando como base a nova geração do City em sua carroceria sedan, o hatch deverá compartilhar atributos importantes como o amplo espaço interno. 

Se de fato essa estratégia se concretizar, a Honda vai atuar em um segmento no qual nunca ofereceu um representante nacional, acirrando a disputa em uma categoria que ainda segue agitada mesmo em meio ao avanço dos SUVs. Os hatches e sedans compactos ainda possuem uma boa participação de mercado, portanto é natural que as marcas considerem investimentos nos dois segmentos em paralelo aos utilitários esportivos. 

Apenas como curiosidade, o Honda City nasceu como um hatchback, estreando nos mercados asiáticos em 1981. Somente com o advento da terceira geração, comercializada globalmente a partir de 1996, é que ele adotou a carroceria três volumes. O City começou a ser produzido no Brasil somente em 2009, quando já estava em sua 5º geração ao redor do mundo. 

A previsão, que pode ser amplamente modificada devido aos reflexos da pandemia do novo coronavírus, era que a nova geração do Fit estreasse aqui no Brasil ainda neste ano, com o novo City chegando ao mercado em 2021 e a configuração hatchback no ano seguinte. Vamos acompanhar de perto e assim que novas informações surgirem relataremos aqui no Autoo. Então fique de olho! 

Projeção de Kleber Silva para o City hatchback baseado na nova geração do sedan
Projeção de Kleber Silva para o City hatchback baseado na nova geração do sedan
Imagem: Kleber Silva
Assine a newsletter semanal do AUTOO!