País marcado por conflitos políticos e religiosos, o Irã costuma figurar para nós apenas nas manchetes do noticiário internacional.

Para a francesa Peugeot, contudo, o país representa bem mais e atualmente é onde a marca encontra seu principal mercado.

Segundo dados da Focus2move, empresa que compila dados do mercado automotivo de vários países ao redor do mundo, em março deste ano a Peugeot alcançou uma destacada participação de 32,1% no país do Oriente Médio. Mesmo na França, seu país-sede, a participação de mercado da Peugeot fica na casa de 20%. Em segundo lugar no Irã figura a marca local SAIPA, que alcançou 17,6% da preferência dos iranianos no mesmo mês. 

Mesmo com a economia do Irã fortemente abalada e com a possibilidade de contar com mais embargos por parte dos EUA, o mercado automotivo está dando sinais de recuperação amparado por uma posição mais firme da Europa em honrar com uma série de compromissos já assumidos.

Segundo o Bureau de Estatísticas do Irã, as vendas de automóveis e comerciais leves no país cresceram 15,3% em 2017.

Não é difícil entender os motivos pelos quais a Peugeot consegue números tão bons no Irã, uma vez que tem uma forte ligação com o país.

O grupo PSA, responsável pela marcas Peugeot e Citroën, atua com duas joint ventures no país do Oriente Médio. A Peugeot está ligada com a fabricante local IKCO, enquanto a Citroën atua em conjunto com a já citada SAIPA, também oriunda do país liderado por Ali Khamenei.

Com isso, a Iran Khodro Automobiles Peugeot, conhecida pela sigla IKAP, vai produzir por lá o 208 e o sedã 301 graças a um investimento de 400 milhões de euros que a joint venture recebeu em 2016 para a atualização da linha de montagem. Hoje a IKAP já monta os Peugeot 405, 206, 207 e o 2008.

 
 
Peugeot 301
 
Peugeot 301
Peugeot 301
Peugeot 301
 
Peugeot 301
Peugeot 301
Peugeot 301
 
Peugeot 301
Peugeot 301
 
 
César Tizo

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo | http://www.jcceditorial.com.br/