JAC J3 dispara entre os chineses no Brasil

Com rede melhor estruturada, marca recém-chegada da China já está à frente de Chery e Lifan

A parte frontal é idêntica ao hatch | Imagem: Divulgação

Os carros chineses ainda são novidade no Brasil, mas aos poucos vão ganhando seu espaço, embora ainda tragam uma série de problemas e na maioria dos casos uma rede de assistência limitada. Ainda assim estão atraindo consumidores com preços bem abaixo da concorrência com automóveis tão equipados que fariam os valores de carros nacionais subirem a cifras impraticáveis. Já desembarcaram no país quatro marcas da China, que juntas oferecem 10 modelos, desde compactos a SUVs.

A forte ofensiva publicitária e estrutural da JAC Motors já faz dela a marca chinesa com maior presença no mercado brasileiro, mesmo sendo a mais novata do filão. O hatch J3, lançado em março deste ano, lidera entre a turma de olho puxado com 5.336 emplacamentos até o final de junho passado. O segundo colocado também é da JAC, no caso o sedã J3 Turim, que já vendeu 3.225 unidades em três meses. Em agosto ainda chega a minivan J6.

A segunda fabricante chinesa mais rentável por aqui é a Chery, que por sinal é a que oferece mais produtos. São cinco veículos. O mais vendido é o Face, com 2.347 unidades vendidas em 2011, mas seus resultados mensais estão sempre oscilando. Por esse motivo, o QQ, conhecido por ser o carro mais barato do Brasil, começa a se aproximar: em pouco mais de dois meses no mercado o compacto já soma 1.802 emplacamentos. 

A Chery ainda oferece o jipinho Tiggo, que a pouco tempo deixou de ser montado no Uruguai e passou a vir importado diretamente da China, já concluído. De janeiro e junho, 1.793 unidades do SUV foram vendidas. Os outros carros da marca são o Cielo hatch e o Cielo Sedã, mas a presença dos dois veículos ainda é muito tímida no país. O primeiro vendeu 769 unidades e o segundo menos ainda, apenas 355 carros. A montadora também se prepara para produzir carros no Brasil, mais precisamente em Jacareí (SP), onde já foi lançada a pedra fundamental da futura planta, que será a primeira de uma marca chinesa no Brasil.

Outra montadora vinda do país mais populoso do mundo que está marcando território por aqui é a Lifan. Seu principal veículo é o irreverente 320, cuja principal característica é imitar o visual do MINI Cooper. Em seis meses o “clone” do compacto inglês vendeu 1.118 unidades. A outra opção da marca, que também planeja uma fábrica no Brasil, é o sedã 620, mas seu mercado ainda é muito pequeno: vendeu 405 unidades em 2011.

Por fim, a última marca chinesa no ranking é a Effa Motors, que vende apenas o M100. Esse carro, a propósito, foi primeiro automóvel de passeio chinês lançado no Brasil em 2008. No entanto, qualidade não é seu forte. Por isso vende pouco – no primeiro semestre foram apenas 484 emplacamentos.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!