JAC lança no Brasil o SUV elétrico e-JS4 por R$ 245 mil

Modelo é sucessor do anunciado iEV 60 com visual do novo T60. Vendas começam em agosto
JAC e-JS4 2021

JAC e-JS4 2021 | Imagem: Divulgação

Com uma atuação discreta no Brasil desde que o representante no país, o grupo SHC, entrou em recuperação judicial, a marca chinesa JAC tem investido em modelos elétricos para se diferenciar de seus concorrentes.

Nada menos que quatro veículos elétricos fazem parte do seu portfólio, em geral versões eletrificadas de modelos com motor a combustão. A partir de agosto, a lista ganhará mais um integrante, o e-JS4, ex-iEV 60.

Como se vê, a JAC não perde o péssimo costume de mudar a forma como batiza seus veículos, o que é agravado ainda pela filial brasileira. Desta vez, no entanto, o e-JS4 está um pouco mais em linha com a nomenclatura chinesa. Ele é a versão a bateria do JS4, um dos nomes do T60 Plus na Ásia.

A salada de siglas, no entanto, só joga contra a marca, que não consegue fixar um produto na cabeça dos clientes. Mas o assunto aqui é o SUV elétrico, que tem preço sugerido de R$ 244.900 ou quase o dobro do T60 Plus, com motor 1.5 turbo a gasolina (R$ 123.990 no Pack 2).

É um valor bastante alto para um SUV de porte compacto, mas basta lembrar que a Renault cobra R$ 205 mil pelo hatch Zoe para constatar que o mercado de carros elétricos é um mundo à parte no Brasil por enquanto.

JAC e-JS4 2021
JAC e-JS4 2021
Imagem: Divulgação

Custo baixo

Exceto pelo preço, o e-JS4 demonstra ter várias virtudes como custo de consumo de energia elétrica de R$ 9 a cada 100 km rodados e uma manutenção tão simples que chega a ser seis vezes mais batata que a de um veículo comum, segundo a marca. O custo de revisões até 60.000 km, por exemplo, é de R$ 649 contra valores de até R$ 5.000 num modelo equivalente a combustão.

O e-JS4, por outro lado, traz um desempenho respeitável, com aceleração de 0 a 100 km/h em 7,5 segundos, autonomia de 420 km e um motor elétrico de 150 cv com 34 kgfm de torque pleno.

O visual, de acordo com as fotos que aparecem no site da marca, não difere do T60 Plus, exceto pela retirada do emblema “turbo” na lateral. Por dentro, o SUV elétrico também não tenta se diferenciar do irmão poluente como ocorre em modelos de outras montadoras.

A estratégia de trabalhar sua imagem com veículos elétricos é uma boa sacada para a JAC, não há dúvida. No entanto, na prática essa aposta até aqui não se mostrou viável. Os modelos sustentáveis da empresa tiveram apenas 22 emplacamentos em 2021 até o mês passado, pouca coisa para tanto esforço. Resta saber se o e-JS4, com uma proposta de utilitário esportivo, poderá mudar esse cenário.