JAC T70 chega em 2018 para mudar opinião a respeitos dos carros chineses

Novo utilitário esportivo já está sendo preparado pela divisão brasileira. Modelo traz painel digital e vários sistemas avançados de auxílio à direção
JAC T70 2019

JAC T70 2019 | Imagem: Divulgação

Pegue o seu conceito a respeito de carros chineses e arquive no fundo da sua memória. Porque vai ser preciso partir do zero para assimilar a chegada do T70, novo SUV de porte médio que a JAC deve lançar no Brasil em 2018.

Apresentado no Salão de Xangai em abril, o novo SUV é mais um daqueles largos passos que os chineses dão de geração em geração. Desta vez estamos diante de um veículo que parece sobrar em relação aos seus concorrentes ocidentais e asiáticos.

O T70 (S7 na China) é um SUV médio para grande. Para efeito de comparação, ele é maior que o Equinox, o novo SUV que a Chevrolet lançou no Brasil: Tem 4,79 m de comprimento, 1,9 m de largura, 1,79 m de altura e entreeixos de 2,75 m. Pode levar cinco ou sete pessoas e acomoda pelo menos 477 litros de bagagem no porta-malas. Na China ele usa roda aro 18 com pneus 235/60, algo que aqui deve ser melhorado.

A suspensão é independente nas quatro rodas com tração dianteira e freios a disco. Mas são as opções de “powertrain” (conjunto motor e câmbio) que o T70 espanta. Ele pode ser equipado com um motor 2.0 turbo de 174 cv ou então utilizar um 1.5 turbo com injeção direta de 161 cv de potência – em ambos a transmissão é de dupla embreagem e seis marchas.

Não está satisfeito? Pois existe uma versão híbrida também que combina um motor 1.5 a gasolina a um elétrico com 27 cv de potência. Nessa configuração, o T70 pode rodar 15,9 km com um litro de gasolina segundo os padrões chineses.

Painel digital e direção semi-autônoma

Os chineses conseguiram se equiparar aos modelos ocidentais quando estes ofereciam equipamentos relativamente simples como direção assistida e câmera de ré, por exemplo. Mas quando surgiram os sistemas de auxílio à direção ou mesmo as centrais multifunção mais complexas eles ficaram para trás seja em qualidade ou mesmo quantidade.

Tudo isso parece ter ficado no passado com o T70. A JAC equipou o modelo com quase tudo que se espera de um carro desse porte. Há sensores que alertam o motorista de algum risco na estrada e atuam de forma precoce, sistema de estacionamento automático, conectividade com a internet e até um HUD, o visor ao nível dos olhos, e um belo painel de instrumentos digital de fazer inveja aos donos de Polo que precisam pagar mais para tê-lo a bordo.

Segundo a JAC, “A tecnologia inteligente pode compensar a negligência da operação humana e reduzir a pressão de condução, oferecendo uma ‘direção semi-automática’ em seu segmento”.

O estilo não chega a surpreender, mas é correto e se caracteriza principalmente pela grade com moldura em formato de “S”. Já o interior aparenta ser bem acabado, mas bebe em algumas fontes como o que a Fiat utiliza no Argo, por exemplo.

A filial brasileira da JAC trouxe alguns exemplares do SUV para iniciar os testes de adaptação ao mercado brasileiro. Ainda não está certo como será esse T70 para o Brasil, mas é provável que ele não traga todos os itens oferecidos na China. O motor mais cotado é 2.0 turbo que tem custo mais acessível para importação.

Da Bahia para Goiás

A chegada do T70 em 2018 pode coincidir com outras mudanças na filial brasileira da JAC. A marca, que passou os últimos cinco anos sobrevivendo ao Inovar Auto, tem planos mais ambiciosos daqui em diante que preveem a troca da linha apenas por modelos SUV, como adiantou Sergio Habib durante o lançamento do T40.

O que não se esperava é que os planos de ter uma fábrica no Brasil pudessem acabar em Goiás. Nesta semana o prefeito de Itumbiara (GO) revelou que a JAC irá assumir as instalações que a Suzuki chegou a construir no município, mas que foram fechadas por questão de economia.

Segundo ele, haverá um cerimônia que oficializará o investimento de R$ 120 milhões na unidade no próximo dia 18. Até então, a montadora e o grupo SHC, que a representa, tinham reforçado os planos de erguer uma fábrica em Camaçari, na Bahia, que acabaram postergados por falta de recursos. Consultada, a JAC não quis se manifestar sobre o assunto.

Os detalhes só devem ser revelados em breve, mas certamente uma linha de montagem no Brasil deverá montar os modelos T40 e T5, membros do segmento que mais tem crescido nos últimos anos. Dificilmente deve ser o T70 que, pelo seu porte, deverá custar acima de R$ 100 mil, mas isso não significa que ele não possa estar mais “perto” do que se pensa. O representante da JAC no Paraguai revelou no último dia 4 que o T70 (S7) será montado no país vizinho a partir de agosto de 2018. Como se vê, o ano que vem será agitado para os chineses.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!