Os engenheiros britânicos são dos mais gabaritados no mundo, seja na área de construção civil, naval, aviação ou com automóveis. Esses engenhos, na maioria dos casos, são obras convencionais construídas de forma racional e para serem eficientes. Até aí tudo bem, mas a brincadeira sempre fica mais intessante quando essa turma inglesa resolve ousar. E quando é assim, é melhor sair da frente.

Acostumados a fazer carros para senhores que fumam cachimbos e charutos e que gostam de dirigir usando luvas especiais, a Jaguar decidiu mudar um pouco esse perfil e começou a fazer automóveis com uma inspiração mais jovial. O ponto alto dessa evolução, que começou no XF, é o superesportivo F-Type, que estreou primeiro na versão conversível e que recentemente chegou ao Brasil na versão Coupé, com capota fechada, e já deliciosamente testada pelo AUTOO.

A Jaguar do Brasil, danada que é, nos cedeu a versão mais potente do F-Type Coupé, a “R”, que traz um generoso motor 5.0 V8 capaz de gerar de 550 a 6.500 rpm e 69,3 kgfm de torque máximo a partir de 2.500 rpm. O câmbio é automático de 8 marchas e, apesar da configuração, não diminiu em nada o ímpeto desse carro, que acelera tão bem quanto um Porsche 911, seu principal concorrente - há ainda duas versões mais “fracas”, com motores V6.

Diferente do meio desajeitado Jaguar XK, o F-Type é pura classe e estilo. É um carro com design arrebatador sob qualquer ângulo, com traços muito bem trabalhados e uma riqueza de detalhes que parece não ter fim. Ele poderia ser facilmente o “Miss Spoiler Traseiro” ou “Miss Capô” em muitos mercados. As dimensões do veículo são dignas de “top-model” do segmento, com 4,47 metros de comprimento, 2,04 m de largura e 1,30 m de altura, deixando um vão livre em relação ao solo que não chega a 10 centímetros.

A inspiração para o visual do F-Type veio do clássico E-Type, dos anos 1960, considerado até hoje um dos mais belos automóveis da história. As proporções são quase iguais, mas o acabamento e o coração da máquina são dignos do século XXI. Não à toa, a marca já até perdeu as contas que quantos prêmios de design ganhou por sua nova obra-prima.

 
 
Jaguar F-Type Coupé R Jaguar F-Type Coupé R
Essa é a versão mais radical do F-Type, com 550 cv Essa é a versão mais radical do F-Type, com 550 cv
O design do carro foi inspirado no clássico Jaguar E-Type, dos anos 1960 O design do carro foi inspirado no clássico Jaguar E-Type, dos anos 1960
que bela traseira, hen? que bela traseira, hen?
O aerofólio salta da traseira quando o carro passa dos 100 km/h ou apertando um botão O aerofólio salta da traseira quando o carro passa dos 100 km/h ou apertando um botão
Esses quatro escapamentos emitem uma verdadeira sinfonia Esses quatro escapamentos emitem uma verdadeira sinfonia
Todo Jaguar deveria ter esse tempero... Todo Jaguar deveria ter esse tempero...
Na versão Coupé, o F-Type leva bons 407 litros no porta-malas Na versão Coupé, o F-Type leva bons 407 litros no porta-malas
A tração, claro, é nas rodas traseiras pra dar mais emoção A tração, claro, é nas rodas traseiras pra dar mais emoção
O modelo vem com rodas aro 20 O modelo vem com rodas aro 20
A soleira iluminada pode ser personalizada A soleira iluminada pode ser personalizada
As maçanetas ficam escondidas na lataria As maçanetas ficam escondidas na lataria
O painel de instrumentos parece o de um avião de combate O painel de instrumentos parece o de um avião de combate
A central multimídia é completa, mas peca pela interface antiga A central multimídia é completa, mas peca pela interface antiga
Muita gente gostaria de por as mãos nesse volante Muita gente gostaria de por as mãos nesse volante
O câmbio é automático sequencial de 8 marchas O câmbio é automático sequencial de 8 marchas
Esse é o botão de ignição Esse é o botão de ignição
O espaço na cabine é apertado O espaço na cabine é apertado
O motor 5.0 V8 rende 550 cv e 69,3 kgfm de torque O motor 5.0 V8 rende 550 cv e 69,3 kgfm de torque
 
 

De lorde a hooligan

Um autêntico cidadão britânico é uma pessoa que se orgulha de sua educação e lida com o cotidiano de forma séria e polida. Mas experimente dar uma cerveja (ou mais de uma) para esse sujeito e acompanhe sua transformação. Com o F-Type é mais ou menos assim, ele pode ser dócil, mas se adiconar mais gasolina ao motor, meu amigo, se segure!

Segundos dados da marca, o F-Type Coupé V8 R vai de 0 até os 100 km/h em apenas 4 segundos. O tempo que você levou para ler a primeira frase deste parágrafo seria o suficiente para o carro passar dos 200 km/h. E ele continua acelerando sem parar até alcançar 300 km/h, quando entra em ação o limitador eletrônico. A tração, claro, é nas rodas traseiras, o que proporciona ainda mais emoção a cada curva.

Superesportivos são tão eficientes para acelerar quanto para frear, e o F-Type não foge à regra. O modelo R vem equipado com um sistema de freios ainda mais potente, com largos discos e pinças de alta potência nas quatro rodas. O modo como o carro foi construído também impressiona, com um corpo e chassi feito quase que inteiramente de alumínio, ajudando a reduzir o peso. Esse modelo, no caso, pesa 1.594 kg, um número que pode assustar, mas que é comum nesse segmento, que utiliza conjuntos mecânicos pesados.

Esse carrão ainda tem três modos de condução, que vão do Conforto ao Sport, que alteram e muito o comportamento do carro, variando respostas do câmbio e elevando os giros do motor. Outro equipamento, de distribuição vetorial de torque, varia a distribuição da força entre as rodas tracionadas para criar as melhores condições para se contornar uma curva em alta velocidade, mesmo se for fazer drift, algo que o F-Type pode encarar de forma maestral.

O F-Type também traz um detalhe simples, mas que faz toda a diferença. Um botão no painel alterna o ronco do motor, passando de um ruído discreto a um verdadeiro escândalo que só um motor V8 pode fazer. Acelere nesse modo e o bairro inteiro vai te escutar passando. Esse barulho é tão agrádavel e divertido que dá vontade de andar com o vidro aberto só para ouvir a sinfonia do “oito canecos” britânico, que impressiona mais do que os blocos V8 americanos.

Claustrofobia a bordo

Agora com o teto fechado, o F-Type Coupé apresenta um espaço bem limitado, especialmente se o motorista for alto, pois sua cabeça vai ficar próxima do teto. Todos os comandos do carro são orientados para o motorista, criando uma sessão especial de condução que por pouco não cria um muro seperando o condutor do passageiro. Mas o conforto dos bancos, com diversas regulagens elétricas, é excepcional.

Um único ponto do F-Type que pode deixar a desejar é a interface da central multimídia, que é feia, mas tem alto falantes dignos de festa (é da marca Meridian). O equipamento é o mesmo usado dos veículos da Land Rover, que repetem essa mesma simplicidade em meio a tanto modernismo. No mais, o Coupé da Jaguar é um carro puro, sem maiores distrações a bordo que posso atrapalhar a tocada esportiva.

O mais poderoso dos F-Type Coupé não é um objeto de fácil acesso. Tem preço inicial de R$ 662.000 que ainda pode aumentar com o acréscimo de alguns itens, como a soleira iluminada e que pode ser personalidaza com o seu nome, ou um belo cinzeiro cromado que se encaixa no console mas que pode muito bem enfeitar a sala de sua casa.

Portanto, parar um desses na garagem é preciso muito dinheiro e também um pouco de insanidade e coragem para levá-lo ao máximo.

Ficha técnica

Vendas em 2017 27 unidades
Veja ficha completa

Autoo

Redação |