Julho de 2023 termina com recorde de vendas de automóveis

Mais de 10 mil unidades foram vendidas por dia, totalizando 225 mil em apenas um mês
Até julho de 2023 a produção está praticamente igual a registrada nos 7 primeiros meses de 2022

Até julho de 2023 a produção está praticamente igual a registrada nos 7 primeiros meses de 2022 | Imagem: Divulgação

O mês de julho trouxe bons resultados para a indústria automotiva brasileira, com um recorde de vendas em 2023  e produção estável. Impulsionado pelos descontos da medida governamental "MP do carro popular" (MP 1.175), o mercado viu um crescimento de 19% nas vendas em relação ao mês anterior e um aumento de 24% na comparação com julho de 2022.

De acordo com a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, (ANFAVEA), com 225,6 mil autoveículos licenciados, julho registrou o melhor desempenho para este mês desde 2019, atingindo níveis pré-pandemia. A média diária de emplacamentos alcançou 10.743 unidades, contribuindo para reduzir estoques que diminuíram de mais de 250 mil para menos de 200 mil unidades.

VEJA TAMBÉM:

Embora a produção tenha se mantido estável em relação às vendas, o setor enfrentou desafios nas exportações, principalmente devido a complicações em destinos-chave na América do Sul. No entanto, o mercado interno apresentou um crescimento de 11,3% a mais de unidades vendidas do que no ano anterior.

Dentre os modelos mais vendidos do mês de julho, estão: Volkswagen Polo com 16.471 unidades, Hyundai HB20  com 12.126 unidades e Fiat Strada com 10.387 unidades. E as marcas que registraram vendas foram: Fiat, Volkswagen e Chevrolet, que combinadas venderam aproximadamente 115.711 carros sendo cerca de 51% do total registrado pela ANFAVEA.

O cenário positivo no setor automotivo brasileiro reflete não apenas a influência das medidas governamentais, mas também do crescimento econômico após a pandemia. Com a gradual recuperação econômica após os desafios de uma pandemia, muitos consumidores sentiram-se mais confiantes para investir em bens duráveis, no caso automóveis. 

O quadro foi de estabilidade nos números, a despeito de várias paradas de fábricas por férias coletivas, lay-offs e outros ajustes da oferta à demanda. Os 183 mil autoveículos que deixaram as linhas de montagem representaram ligeira redução de 3,3% na comparação com o mês anterior. 

No acumulado do ano, a produção de 1,315 milhão de unidades está praticamente igual à dos sete primeiros meses de 2022, com alta de 0,3%. Crescimento maior está tendo o mercado interno, que acumula 1,224 milhão de unidades vendidas, 11,3% a mais que no
ano passado.

Siga o AUTOO nas redes: Instagram | LinkedIn | Youtube | Facebook | Twitter

Recomendados por AUTOO

Youtube
Qual entrega mais? Honda HR-V ou Citroën C3 Aircross?

Qual entrega mais? Honda HR-V ou Citroën C3 Aircross?

SUVs coadjuvantes em vendas podem ser opção para os best-sellers Creta e T-Cross
Aviação
Gol pretende ter 169 jatos Boeing 737 em 2029

Gol pretende ter 169 jatos Boeing 737 em 2029

Companhia aérea anunciou medidas para sair da crise financeira
MOTOO
A partir de R$ 8,5 mil: motos Shineray, Honda e Yamaha

A partir de R$ 8,5 mil: motos Shineray, Honda e Yamaha

Lista reúne as 10 motos mais baratas do Brasil em maio de 2024. Descubra as opções