Land Rover deixará de usar motor de origem Ford

Antigo 4.4 V8 turbodiesel tem mais de dez anos de história e é herança de outros tempos da marca britânica
Range Rover 2020 em sua inédita configuração híbrida leve a gasolina

Range Rover 2020 em sua inédita configuração híbrida leve a gasolina | Imagem: Divulgação

Já se foram praticamente 12 anos desde que a Ford vendeu as operações de Jaguar e Land Rover para a indiana Tata Motors, mas alguns resquícios dessa antiga parceria ainda são vistos nos modelos Land Rover. Entre eles está o motor 4.4 V8 turbodiesel usando também nos modelos da linha Range Rover.

De acordo com a revista britânica Autocar, tal propulsor deverá ser descontinuado nos próximos meses, enquanto a Land Rover já está desenvolvendo seu substituto. Especula-se que o antigo V8 diesel dos tempos da Ford será trocado por um novo motor, ainda turbodiesel, mas 3.0 de seis cilindros em linha. E não deve ficar só nisso, uma vez que a Land Rover deverá oferecer variantes desse novo propulsor com sistemas de eletrificação, como um híbrido leve.

De acordo com a publicação o novo motor diesel com auxílio híbrido deverá aparecer com duas opções de potência. Nos modelos D300, ele desenvolverá cerca de 300 cv, enquanto números estimados de performance apontam para um 0 a 100 km/h em 7,1 segundos, ao mesmo tempo em que o consumo ficaria na casa dos 12,5 km/l de média combinada. Já o D350 deverá trazer 350 cv e seu número de aceleração deverá ficar em 6,5 segundos.

O novo seis-em-linha da marca será mais eficiente, de acordo com a fábrica. O atual 4.4 V8 turbodiesel é baseado em um design com mais de dez anos e é fabricado em uma linha montagem mexicana que pertence à Ford. Tanto pressões de novas regras de emissão de poluentes quanto o fim da parceria entre Land Rover e a marca do oval azul estariam acelerando a substituição do propulsor.

Acima o motor 4.4 V8 turbodiesel aplicado no Range Rover
Acima o motor 4.4 V8 turbodiesel aplicado no Range Rover
Imagem: Divulgação

Assine a newsletter semanal do AUTOO!