Líder no segmento de luxo, Grupo BMW promete 30 novidades para o Brasil

Volume de lançamentos contempla todas as marcas do conglomerado, incluindo divisão de motocicletas
BMW iX

BMW iX | Imagem: Divulgação

A BMW encerrou 2021 com uma confortável posição de liderança entre as marcas de luxo no mercado brasileiro. Somando 14.317 unidades emplacadas, a BMW deixou para trás a Mercedes-Benz (9.063), Volvo (8.275), Audi (6.202), entre outras. 

Indo além e considerando o Grupo BMW como um todo, o que engloba a marca MINI e a divisão de motocicletas BMW Motorrad, o volume total de emplacamentos da empresa em 2021 alcança 27.844 veículos, número 15,1% maior em relação ao fechamento de 2020. 

Para dar continuidade à boa aceitação que está registrando no país, o conglomerado alemão anunciou a estreia de cerca de 30 novos produtos no Brasil entre as marcas que integram o portfólio da companhia. 

Entre eles merecem destaque os elétricos BMW iX e BMW i4. Segundo a fabricante alemã, a gama de automóveis eletrificados da BMW alcançou um crescimento de 162% nas vendas no Brasil quando comparado ao volume de 2020.  

MINI

A MINI também obteve resultados expressivos em 2021, quando vendeu 1.418 unidades, crescendo 9% em comparação com o ano anterior (1.301 unidades). A marca fechou o ano passado com 4,2% de participação de mercado no segmento Premium, o que representou um avanço de 0,4 pontos percentuais em comparação com 2020”, destaca o BMW Group Brasil. 

O destaque foi o lançamento do MINI Cooper S E, primeiro modelo 100% elétrico da marca britânica, que chegou ao país no segundo semestre, conquistou de início 313 clientes, se destacando no mercado de veículos puramente elétricos compactos. Outro modelo eletrificado da marca, o MINI Cooper S E Countryman ALL 4, um híbrido plug-in, contabilizou 262 unidades vendidas em 2021. Somados, os dois veículos totalizaram 575 emplacamentos, representando 40,5% de participação das vendas da MINI no Brasil no ano passado”, acrescenta a companhia.

BMW i4
BMW i4: elétrico confirmado para o mercado brasileiro
Imagem: Divulgação