Marcas chinesas preparam SUVs de luxo para o Brasil

Lifan, JAC e Chery lançarão este ano os modelos X80, T80 e Tiggo 7 de olho num público que busca tecnologia e preço mais em conta
Lifan X80 2018

Lifan X80 2018 | Imagem: Divulgação

Nada de populares ou utilitários, as marcas chinesas instaladas no Brasil agora querem conquistar um público mais seleto e o caminho escolhido para isso é o mesmo: utilitários esportivos maiores e bem equipados.

É o que farão a Lifan, JAC e Chery nos próximos meses. A primeira delas é a Lifan que prepara o lançamento do X80 no dia 6 de junho. O modelo é um salto e tanto comparado ao X60, modelo da marca que mais fez sucesso no Brasil.

Lifan X80

Com espaço para sete pessoas, o X80 é equipado com motor 2.0 turbo de 192 cv e transmissão automática de 6 velocidades, além de suspensão independente nas quatro rodas. Entre os equipamentos destaca-se o painel de instrumentos digital, as rodas aro 19, câmera 360º de estacionamento, teto solar e uma miríade de assistentes eletrônicos de direção.

Sem o Inovar Auto que impedia a importação em condições mais competitivas, o X80 não precisará fazer escala no Uruguai antes de entrar no Brasil. Por isso estima-se que seu preço fique em torno de R$ 120 mil a R$ 130 mil, um valor bem mais em conta que o de alguns concorrentes.

JAC T80

O X80 terá a concorrência direta de outro chinês com designação semelhante, o T80, da JAC Motors. Chamado de S7 no exterior, o SUV, que chegou a ser cogitado como T70 por aqui, tem dimensões bem semelhantes ao Lifan e também utiliza um motor 2.0 turbo com cerca de 175 cv, mas seu câmbio automático de seis velocidades é do tipo de dupla embreagem. Há também uma versão com motor 1.5 turbo de injeção direta um pouco menos potente, mas certamente mais econômico.

Assim como o X80, o JAC oferece sete lugares e vários sistemas eletrônicos de condução semiautônoma. Entre eles, frenagem automática de emergência, assistente de faixa de rolamento, alerta de ponto cego e de colisão frontal além de ACC, o controle de cruzeiro adaptativo.

A JAC já testa o T80 no país e o mostrará ao público no Salão do Automóvel em novembro e passará a vendê-lo em seguida.

CAOA Chery Tiggo 7

Menor que seus ‘conterrâneos’, o Tiggo 7 também já está sendo nacionalizado há algum tempo – inclusive chegou-se a estimar seu lançamento no final do ano passado, mas o negócio entre Chery e CAOA acabou congelando seu desenvolvimento.

O SUV da Chery leva apenas cinco ocupantes, mas também oferece boas opções de motorização como um 2.0 turbo com transmissão CVT ou um 1.5 turbo com câmbio de dupla embreagem. O ar-condicionado é de duas zonas, há um enorme teto solar panorâmico, partida por botão, painel digital como seus concorrentes chineses e uso de ligas de aço de ultra alta tensão afinal a plataforma foi desenvolvida em conjunto com ninguém menos que a Jaguar Land Rover.

Em relação ao X80 e o T80, o Tiggo 7 tem uma pretensa vantagem: será fabricado no Brasil pelo grupo CAOA, que assumiu a operação este ano.

Nos passos da Hyundai

A estratégia de mirar num público mais exigente parece suicida afinal esses clientes valorizam marcas consagradas e carros com imagem admirada no mercado. Mas foi justamente esse caminho que a Hyundai trilhou há mais de uma década, quando era uma marca ignorada nas lojas.

Ao produzir veículos atraentes, bem equipados, porém, mais acessíveis, a montadora sul-coreana conseguiu aos poucos superar a má impressão que tinha. O resultado que os chineses esperam é que, ao convencer clientes mais abonados, possa transmitir esse desejo de compra para as categorias de carros mais em conta e aí sim voltar aos modelos de grande volume. É esperar para ver se a receita vai funcionar novamente.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!