Novo Renault Zoe parte de R$ 204.990, mas custa menos para manter do que um Sandero

Elétrico chega ao país com profundas evoluções e será vendido em duas versões
Renault Zoe 2021

Renault Zoe 2021 | Imagem: Divulgação

A profunda atualização pela qual passou o Renault Zoe começou a ser vendida na Europa em 2019, mas, em especial por conta de todas as consequências da pandemia da Covid-19, o elétrico amplamente renovado chega somente agora ao mercado brasileiro.

O novo Zoe será comercializado no Brasil nas versões Zen, com preço sugerido de R$ 204.990, e Intense (R$ 219.990). De série o modelo conta com painel de instrumentos digital, central multimídia com tela de 7”, ar-condicionado automático, acendimento automático dos faróis, sensor de chuva, controles de tração e estabilidade, sensor de estacionamento, 4 airbags, entre outros. O catálogo mais caro acrescenta assistentes de condução como o monitoramento de pontos cegos e o farol alto automático. O Zoe Intense acrescenta sensor de estacionamento dianteiro, câmera de ré e retrovisor interno fotocrômico, apenas para destacar os principais itens.

Em termos de design, o elétrico conta com um novo capô, faróis dianteiros full-LED em todas as versões, para-choque frontal redesenhado, novas entradas de ar, lanternas traseiras full-LED também com novo visual e rodas de liga leve aro 16” com cinco parafusos. O modelo é equipado com freio a disco nas quatro rodas.

Construído sobre uma evolução da plataforma C1A já adotada pelo elétrico, tecnicamente o novo Zoe traz evoluções importantes.

A bateria, por exemplo, é uma unidade mais sofisticada, que oferece 52 kWh de capacidade de armazenamento e faz com que o Renault entregue uma autonomia em condições reais de uso na faixa de 385 km.

Para acompanhar a evolução da bateria, o Zoe também recebeu um novo motor (R135) de 135 cv de potência e 25 kgfm de torque. 

Segundo dados da marca francesa, a aceleração de 0 a 100 km/h é realizada em competentes 9,5 segundos e a velocidade máxima é de 140 km/h. Como os motores elétricos, por concepção, privilegiam o torque à potência, a velocidade máxima costuma não ser muito elevada. 

Ponto que merece destaque vai para as retomadas. Em relação ao Zoe anterior, com o motor R110, a retomada de 80 a 120 km/h passa a ser executada em 7,1 segundos, exatos 2,2 segundos mais rápida em relação ao elétrico vendido anteriormente. Com isso, podemos esperar respostas ao volante ainda mais interessantes no comando do novo Zoe 2021.  

Importante destacar que o compacto elétrico da Renault inclui agora uma opção de recarga com corrente contínua (DC), geralmente utilizada em eletropostos para carregamento rápido das baterias. “Instalado entre o grupo motopropulsor elétrico e a bateria, este sistema permite fazer uma recarga de até 50 kW em terminais DC. Esta nova opção de recarga se adapta aos trajetos mais longos, principalmente em rodovias”, explica a Renault. A recarga em corrente contínua permite obter até 157 km de autonomia em 30 minutos. 

Entre outras melhorias, o novo Zoe oferece agora freio de estacionamento elétrico com função Auto-Hold, além do seletor eletrônico E-Shifter substituindo a alavanca mecânica convencional. Ele permite alternar entre os modos de condução Drive (D) e B, que “desacelera o carro de forma nitidamente mais pronunciada assim que o condutor solta o pedal do acelerador”, detalha a Renault. “O modo B simplifica a condução, principalmente na cidade ou ao reduzir a velocidade. Tecnicamente, sua integração conta com um novo sistema de frenagem que também melhora as sensações percebidas no pedal do freio”, completa a fabricante. 

O Zoe 2021 conta com 4,08 m de comprimento, 2,58 m de entre-eixos e pesa 1.502 kg, sendo que, do total, 326 kg correspondem à bateria. Considerando seu porte, o hatch conta com bom porta-malas para 338 litros. 

Apesar do preço elevado, é interessante destacar uma relevante superioridade dos carros elétricos no que diz respeito ao custo de propriedade, que, no caso do Zoe, chega a ser 25% menor em relação a um automóvel a combustão com tamanho equivalente por conta do menor número de peças móveis. O Zoe, por exemplo, não tem câmbio e sequer embreagem. A Renault aponta que o custo de manutenção do Zoe chega a ser inferior até mesmo ao de um Sandero 1.6. No caso do elétrico, as seis primeiras revisões terão custo de R$ 2.733, enquanto, para o Sandero, o valor somado atinge R$ 3.643. 

O novo Zoe será oferecido no sistema de assinatura de longa duração Renault On Demand, que terá custo mensal de R$ 3.890 para o elétrico considerando o plano de 36 meses com franquia de 1.000 km por mês. O valor inclui os custos de manutenção, gestão de documentos, seguro e assistência 24 horas. 

As vendas do Zoe 2021 já começam a partir deste mês na rede de concessionárias da marca. O elétrico será oferecido nas cores Azul Céladon, Vermelho Flamme e Branco Quartz, que se somam às cores já oferecidas anteriormente Cinza Highland, Cinza Titanium e Preto Etóile.