Para evitar incêndio, GM Volt ganha reforço na estrutura das baterias

Cerca de 12 mil unidades deverão ser chamadas nos EUA. Processo de instalação demora cerca de três horas

Volt, da Chevrolet: elétrico na cidade, híbrido na estrada | Imagem: Divulgação

Após tanta polêmica em torno da segurança das baterias do Chevrolet Volt, que veio à tona depois que algumas unidades pegaram fogo após os testes de colisões realizados pelo NHTSA, a General Motors enfim anunciou que encontrou a raiz do problema e que já desenvolveu a solução.

Segundo a montadora, os incêndios desses modelos foram causados porque o reservatório que armazena o fluído de arrefecimento da bateria foi perfurado durante as colisões, causando assim o vazamento deste líquido que posteriormente deu início a um curto circuito e ao incêndio.

Veja também: Carros elétricos passam por crash-test nos EUA

Para evitar que isso aconteça, o Volt receberá um reforço extra na estrutura que protege a bateria e uma nova tampa, agora com vedação, para o reservatório onde o líquido é armazenado. Além disso, será instalado um sensor para monitorar os níveis deste reservatório.

Segundo a Chevrolet, foram testadas quatro unidades com as devidas alterações e nenhuma delas apresentou problemas. O processo de melhoria, que não é classificado como recall pela marca, dura aproximadamente três horas e os cerca de 12 mil proprietários que compraram o modelo elétrico deverão ser contatados pela GM para fazer as adaptações no carro.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!