Pesquisa aponta a cor mais valorizada entre os seminovos em 2021

Tonalidade da carroceria já não é algo decisivo na hora da compra, acrescenta estudo
Segundo pesquisa, cor já não é um critério decisivo na escolha do seminovo

Segundo pesquisa, cor já não é um critério decisivo na escolha do seminovo | Imagem: Divulgação

O Mobiauto, marketplace de carros usados, revela nesta semana uma interessante pesquisa que teve como objetivo analisar o comportamento de preços dos modelos seminovos no país (2019 e 2020) separados por cores. Em paralelo, o estudo ainda traz algumas constatações, como, por exemplo, se a tonalidade escolhida para a carroceria ainda é um fator preponderante na escolha dos consumidores. 

Para tanto, os pesquisadores da área de estatísticas da Mobiauto levaram em  consideração as 16 marcas de maior volume de vendas do país, com um total de 565 modelos e versões. 

Para cada uma delas, os responsáveis pela pesquisa selecionaram a variação de preços das cinco cores mais comuns: branco, prata, cinza, preto e vermelho. 

Outras tonalidades raras, como amarelo, verde, azul ou marrom foram descartadas da pesquisa por terem uma amostragem muito restrita e nem pertencerem ao menu dos principais modelos zero km. Foram consideradas as cotações dos modelos em janeiro e, posteriormente, dos mesmos carros em dezembro de 2021. 

Ao contrário do que uma observação simples nas ruas pode sugerir, a cor vermelha foi a responsável pela maior valorização na pesquisa, com alta de 24% no valor de automóveis ano/modelo 2019 considerados na pesquisa. 

Em seguida, também levando em consideração unidades 2019, aparecem as cores preto (+22,1%), prata (+21,9%), branco (+21,7%) e cinza (+21,3%). 

Já para as unidades ano/modelo 2020, a valorização de carros vermelhos foi de 19,7%, seguido pelos automóveis nas cores preto (+18,5%), cinza (+18,4%), branco (+18,4%) e prata (+18%). 

Mudança na hora da escolha

A estreita variação nos resultados, destaca a Mobiauto, sinaliza para outra constatação interessante. 

Quando uma pesquisa mostra variação tão estreita nos resultados é sinal de que aquele ingrediente que está sendo pesquisado não interfere, definitivamente, na opção do comprador. E esta é uma ótima notícia! Se você era daqueles consumidores que escolhia a cor do seu carro zero km já pensando na hora da revenda, esqueça! O comprador de seminovos não está nem aí pra isso”, pontua Sant Clair Castro Jr., CEO da Mobiauto.  

Esperávamos que o branco fosse liderar a pesquisa, mas o resultado mostrou equilíbrio, sinal de que o consumidor de carros seminovos está cada vez mais seletivo com outros quesitos na compra, como estado de conservação, documentação, origem do veículo... e muito menos preocupado com a cor do automóvel que está sendo adquirido”, acrescenta Castro Jr. 

Por fim, o executivo analisa que a boa procura da cor vermelha também pode ser fruto de sua maior presença em alguns segmentos específicos. “Você não vê muitos sedãs ou SUVs vermelhos. É uma cor mais comum em modelos de entrada (hatches e picapes compactas, por exemplo). E esses carros são naturalmente muito procurados, o que pode ter ajudado no aumento de preços do vermelho”. 

Toyota Yaris
Geralmente encontrada em modelos de maior volume, como é caso dos hatches, cor vermelha foi destaque na pesquisa
Imagem: Divulgação