Peugeot Landtrek pode demorar no Brasil e Argentina por conta de impostos

Nova picape média da marca francesa já está no Uruguai, mas por aqui a estreia ocorrerá apenas em 2022
Peugeot Landtrek

Peugeot Landtrek | Imagem: Divulgação

A Peugeot acabou de dar os detalhes iniciais da nova Landtrek, inédita picape de porte médio da marca francesa que está prometida para chegar ao mercado brasileiro apenas em 2022. A montagem da Landtrek na região, ao que tudo indica, ocorrerá no Uruguai e, naquele país, o modelo já teve as primeiras unidades flagradas desembarcando por lá pelo site Autoblog Uruguay.

No que a Peugeot está chamando de "primeira fase da comercialização", a Landtrek começará a ser vendida inicialmente no México e alguns países da América Latina. Tudo leva a crer que, em países de maior demanda como Brasil e Argentina, a Peugeot deverá aguardar o início da produção na linha de montagem em Montevidéu, o que foi atrasado por conta da pandemia. Daí a espera de dois anos.

Peugeot Landtrek
Peugeot Landtrek apresentada no México é importada. Brasil receberá modelo montado no Uruguai
Imagem: Divulgação

No entanto, novas informações sugerem que a marca pode estar esperando por mais um motivo que, inclusive, pesaria nos bolsos da Peugeot e dos clientes. Tanto aqui quanto na Argentina, carros importados da China, como é o caso das primeiras unidades da Landtrek a chegar na América Latina, acabam por pagar elevados impostos de importação. Sendo assim, de acordo com os colegas do Argentina Autoblog, faz ainda mais sentido aguardar a fabricação uruguaia para evitar as taxações maiores. 

Contudo, como bem salientam os colegas argentinos, se a Peugeot demorar demais corre o risco da Landtrek chegar defasada em relação às rivais. O mercado está movimentado e rumores de novas gerações e produtos estreantes nesse intervalo já existem. A própria marca já admitiu que o produto feito no Uruguai poderia receber “soluções visuais específicas”, adiantando um facelift para o modelo que chegará somente em dois anos. 

Mais um questionamento é quanto ao conjunto motriz. O propulsor 1.9 turbodiesel de 150 cv e o câmbio manual da picape podem não ser o suficiente para convencer os compradores de um segmento competitivo, onde as rivais costumam ter mais de 200 cv, como a nova Toyota Hilux 2021, e câmbio automático. 

 
Assine a newsletter semanal do AUTOO!