Presidente da PSA diz que apenas ''ativistas'' compram carros elétricos

Executivo, que pode ser o líder do futuro conglomerado em conjunto com a FCA, pede elétrico de apelo mais amplo
Acima a nova geração Peugeot 2008 em sua inédita configuração elétrica

Acima a nova geração Peugeot 2008 em sua inédita configuração elétrica | Imagem: Divulgação

Carlos Tavares é o atual CEO da Peugeot-Citroën (PSA), grupo que agrega ainda as marcas DS, Opel e Vauxhall. Após a fusão com a Fiat-Chrysler (FCA) - e todas as suas marcas , recai sobre o executivo a maior probabilidade para a liderança desse gigante conglomerado. Sem muita cerimônia, Tavares não acredita que o atual cenário dos veículos elétricos seja a melhor solução no longo prazo.

Em entrevista à agência Reuters, Carlos Tavares afirmou que os carros elétricos de hoje não têm um apelo amplo e que acabam sendo adquiridos apenas por pessoas fortemente engajadas com a sustentabilidade. Assim, compradores mais pragmáticos e uma grande parcela do público em geral acabam deixando o elétrico de lado na hora de escolher seu próximo veículo.

Segundo o executivo, isso se deve a vários fatores. Entre eles estariam a pouca infraestrutura de carregamento, autonomia relativamente baixa provida pela atual tecnologia de baterias e incerteza sobre o futuro dos preços cobrados pela eletricidade que abastecerá esses carros.

Na Europa, o grupo IONITY, uma joint-venture de BMW, Mercedes-Benz, Ford e Grupo Volkswagen, alterou o sistema pagamento para abastecer carros elétricos em suas estações de carregamento. Agora, a carga é cobrada por kilowatt-hora, o que elevou os custos em 500%, segundo a imprensa do Velho Continente.

Além disso, Carlos Tavares teria afirmado ainda que a demanda por carros elétricos geralmente despenca assim que subsídios, seja de governos ou de montadoras, são cortados. O executivo deu por exemplo a situação na China, onde os benefícios para elétricos foram cortados e as vendas desse tipo de veículo caíram na sequência.

Isso, porém, não quer dizer que a empresa estaria abandonando os carros elétricos. A estratégia do Grupo PSA para superar essas dificuldades, segundo o CEO, estaria em tornar os elétricos mais baratos, apostando no compartilhamento de plataformas flexíveis com os carros a combustão ao invés de ter uma plataforma exclusiva para veículos movidos a bateria.

Fiat 500 2021
Fiat 500 2021
Imagem: Divulgação