Rival da Toro, VW Tarok ainda é dúvida e segue sem local de produção definido

Modelo foi revelado ainda na forma de conceito em 2018 com relativo sucesso
Projeção de Kleber Silva para a VW Tarok mais próxima de sua versão final de produção

Projeção de Kleber Silva para a VW Tarok mais próxima de sua versão final de produção | Imagem: Kleber Silva

Tomando como base a notável aceitação da Fiat Toro em nosso mercado, era natural esperar que várias marcas olhassem para o sucesso da picape com mais atenção.

Em 2016, a Hyundai surpreendeu ao revelar no Salão de São Paulo o conceito Creta STC. A Volkswagen, dois anos depois, apareceu com o protótipo Tarok como uma sugestão para entrar no segmento de picapes compactas-médias.

Esse novo estilo de picape é interessante na medida em que mescla a mesma capacidade de carga de um modelo de médio porte (na casa de 1 tonelada, dependendo da versão) com o conforto e o rodar suave de um carro de passeio ao utilizar uma estrutura monobloco como é o caso da Toro.

Enquanto a Creta STC não passou de um exercício de estilo (apesar do fato de que a Hyundai vai investir no segmento, ao menos na América do Norte, com a Santa Cruz), a Volkswagen apresentou a Tarok na mostra paulista e sinalizou, à época, que a picape não iria demorar muito tempo para chegar ao mercado de forma definitiva.

A grande dúvida é que quase dois anos se passaram e até o momento nada do projeto Tarok se materializar como um produto efetivo na gama Volkswagen, deixando a Toro e a Renault Duster Oroch como as únicas opções para quem deseja um modelo desse tipo.

Segundo informações mais recentes, o projeto da Tarok ainda não recebeu sinal verde dentro da marca alemã inclusive por algumas questões envolvendo o local de produção do modelo.

A materialização da Tarok nas concessionárias depende em grande parte dos rumos para a nova geração da Amarok. Inicialmente, a segunda geração da picape média da VW seria desenvolvida em conjunto com a Ford e produzida pela marca norte-americana para a VW na Argentina, em conjunto com a nova Ranger. Recentemente, contudo, parece que o acordo das duas empresas não avançou como o planejado e a Volkswagen deverá dar uma sobrevida para a Amarok atual em sua fábrica vizinha à da Ford em Pacheco.

Como analisou o colunista Fernando Calmon na semana passada, a ideia da Volkswagen, se o acordo com a Ford saísse como o desejado, era alocar a produção da picape compacta-média no lugar da Amarok na unidade argentina de Pacheco. Com isso, se a Volkswagen ainda decidir levar adiante o projeto da Tarok, é mais provável que a picape compacta-média seja produzida na unidade de São José dos Pinhais (PR) ao lado do T-Cross. Assim como o SUV, a picape também é baseada na plataforma modular MQB e ambos deverão compartilhar muitos elementos técnicos.

Na época da apresentação, a Volkswagen destacou que a Tarok contaria com uma estrutura reforçada para suportar cerca de 1 tonelada de carga, como a Toro em suas versões turbodiesel. O projeto da Tarok também contempla um interessante acesso entre a caçamba e a cabine da picape, facilitando inclusive a acomodação de objetos maiores.

A Tarok também deverá oferecer o sistema de tração integral 4Motion e muito provavelmente sua versão topo de linha deverá ser baseada no motor 2.0 turbo (a gasolina ou flex) com potência na casa dos 200 cv. Resta saber se o profundo abalo na economia mundial causado pela pandemia da Covid-19 não postergou ainda mais o projeto da Tarok. Vamos seguir de perto os próximos passos da marca envolvendo a picape e noticiaremos os detalhes aqui no Autoo. Acompanhe! 

Projeção de Kleber Silva para a VW Tarok mais próxima de sua versão final de produção
Projeção de Kleber Silva para a VW Tarok mais próxima de sua versão final de produção
Imagem: Kleber Silva