Mesmo com a próxima geração batendo à porta do Honda Fit, o modelo que conquistou uma legião de consumidores fiéis aqui no Brasil ainda mostra que tem muito fôlego.

Apesar de, aqui no Brasil, o Fit atuar no mercado de uma forma isolada, quase sem concorrentes diretos, é interessante destacar que, no exterior, ele foi criado para ser uma alternativa à modelos como Volkswagen Polo, Ford Fiesta, entre outros hatches compactos. Logo, a Honda foi muito inteligente ao pensar em um modelo diferenciado como o Fit para se destacar entre rivais com ótima aceitação.

Ao reunir o melhor de dois mundos, no caso a versatilidade dos monovolumes com o tamanho prático para o uso urbano de um hatch, o Fit se sobressai pelo excelente aproveitamento do espaço interno, com uma cabine muito confortável para cinco adultos. Outro ponto em que os engenheiros da Honda merecem nota 10 é o ótimo sistema de rebatimento dos bancos traseiros, que é fácil e simples de usar e permite acomodar os mais diferentes tipos de objetos, de um vaso a uma prancha de surfe. A carroceria diferenciada do Fit também o permite oferecer um porta-malas de 363 litros, o que pode não representar uma diferença gritante, mas já significa a possibilidade de transportar alguns volumes a mais do que muitos hatches compactos. Como comparação, a nova geração do VW Polo, um modelo ainda recente, conta com porta-malas para 300 litros.

Por tudo o que foi dito acima fica fácil entender porque encontramos muitos consumidores que já estão em seu segundo ou terceiro Fit e não se convencem a mudar de carro.

O Autoo optou por avaliar o Fit em sua versão EX, que se tornou bem mais interessante com os aprimoramentos recebidos a partir da linha 2019. O grande destaque vai para a introdução da central multimídia com suporte aos principais sistemas de espelhamento para smartphones do momento, recurso que é muito valorizado pelos consumidores. O aparelho ainda conta com câmera de ré. Tabelado em R$ 78.300, o Fit EX 2019 ainda oferece 4 airbags (frontais e laterais), os controles de tração e estabilidade, iluminação diurna por LED, ar-condicionado automático digital, piloto automático e rodas de liga leve aro 16”, apenas para citar os itens principais.

 

Por esse preço seria muito bem-vindo se o Fit EX oferecesse sensor de estacionamento de série ou a opção de acrescentar o revestimento interno de couro. Apenas como comparação, um Volkswagen Polo Comfortline, com motor 1.0 turbo e câmbio automático, traz um pacote muito semelhante ao Fit EX 2019 – deve o revestimento interno de couro como o Honda, mas traz sensor de estacionamento traseiro – e custa bem menos, no caso tabelado em R$ 70.480.

Na cabine, o Fit entrega a boa ergonomia típica dos carros japoneses, com os comandos bem posicionados. A qualidade de montagem e a ausência de ruídos merecem destaque, sendo que o nível de acabamento como um todo é coerente com a faixa de preço na qual o Fit atua. A Honda soube escolher bem os materiais plásticos para a cabine e o tecido presente em bancos e laterais de porta, bem como o design do painel e do console central agrada.

A Honda cobra caro pela originalidade do Fit e seu projeto diferenciado, mas, justiça seja feita, entrega um modelo bem singular e que também é dotado de um alto nível construtivo e de segurança. Segundo avaliação do Latin NCAP, o Honda Fit testado em 2015 com 2 airbags registrou cinco estrelas na proteção para adultos e quatro estrelas no teste de impacto para crianças, um patamar bem aceitável.

O conjunto mecânico do Fit também segue agradando e cumprindo muito bem tudo aquilo que esperamos encontrar em um carro com a proposta do Honda. Todas as versões recebem o motor 1.5 16V, que na configuração EX trabalha exclusivamente com o câmbio automático CVT. Em termos de desempenho, o Fit EX 2019 está longe de surpreender, na mesma medida em que também está longe de ser apático nas acelerações e retomadas, com respostas aceitáveis ao volante. O consumo, atributo que se destaca muito mais em um carro com a concepção do Fit, é elogiável e pode alcançar médias de até 12,3 km/l na cidade e 14,1 km/l na estrada com gasolina, de acordo com o Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular.

Tão racional quanto seu trem-de-força é o comportamento dinâmico do Fit. Neutro nas respostas e com a segurança adicional que os controles de tração e estabilidade conferem ao modelo, o Fit é um modelo equilibrado dinamicamente e com uma suspensão que privilegia o conforto. A direção elétrica também tem a velocidade de resposta esperada para um modelo sem qualquer ambição esportiva, mas, ao mesmo tempo, mantém uma boa comunicação com o motorista. Pensado para o uso urbano, o Fit conta com um bom diâmetro de giro (10,3 m), o que facilita as manobras mesmo nas vagas mais apertadas.

Para quem faz questão de um modelo mais equipado, é bom lembrar que o Fit também conta com a versão EXL, que custa exatos R$ 5.000 a mais que a EX avaliada aqui, porém acrescenta o airbag de cortina, faróis full-LED e revestimento interno de couro, cabendo a você ponderar se esses equipamentos são indispensáveis e justificam o valor adicional.

O Honda Fit é uma excelente opção para quem precisa de um carro mais espaçoso – atendendo até uma família sem problema – preservando uma carroceria compacta e adequada ao uso urbano. Se esse é o seu caso e você também não quer abrir mão de um nível satisfatório de segurança, conforto e eficiência no uso do combustível, poucos carros vão lhe atender tão bem quanto ele!  

 
 
Honda Fit 2018
 
Honda Fit 2018
Honda Fit 2018
Honda Fit 2018
 
Honda Fit 2018
Honda Fit 2018
Honda Fit 2018
 
Honda Fit 2018
Honda Fit 2018
Honda Fit 2018
 
Honda Fit 2018
Honda Fit 2018
Honda Fit 2018
 
Honda Fit 2018
Honda Fit 2018
Honda Fit 2019
 
Honda Fit 2019
Honda Fit 2019
Honda Fit 2019
 
Honda Fit 2019
Honda Fit 2019
Honda Fit 2019
 
Honda Fit 2019
Honda Fit 2019
Honda Fit 2019
 
Honda Fit 2019
Honda Fit 2019
 
 

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo | http://www.jcceditorial.com.br/