Toyota e Fiat lideram em prêmio por satisfação do consumidor

Honda também é lembrada no estudo realizado pela J.D. Power do Brasil

Fiat Siena Fire 2011 | Imagem: Fiat

A Toyota foi eleita a empresa de maior satisfação entre os proprietários de veículos novos no Brasil pelo segundo ano consecutivo, enquanto modelos da Fiat, Honda e  Toyota receberam prêmios por segmentos, de acordo com o estudo 2012 Brazil Vehicle Ownership Satisfaction Study, realizado pela J.D. Power do Brasil e divulgado nesta quinta (2).

O estudo classifica a satisfação de propriedade de um veículo individualmente por modelo por segmento, assim como por marca de automóvel em geral. A Toyota foi eleita como a marca com a classificação mais alta em relação à satisfação entre os proprietários pelo segundo ano consecutivo, com média geral de 829 pontos, aumento expressivo em relação aos 821 pontos, em 2011.  Na sequência, na classificação geral de marcas, estão as montadoras coreanas Hyundai (815) e Kia (812), ambas classificadas no estudo pela primeira vez. MitsubishiNissan também foram classificadas acima da média da indústria.

A Fiat é a marca que mais se aprimorou no estudo de 2012, ganhando 26 pontos ante 2011 (754 pontos, em 2012, e 728, em 2011) e classificando-se ligeiramente acima da média da indústria.  Esta melhora deve-se, em parte, ao Fiat Siena Fire, que obteve a maior pontuação por modelo (856) e apresentou o mais baixo número de problemas relacionados no estudo por 100 veículos (101 PP100). Uma pontuação PP100 mais baixa significa qualidade mais alta.

Modelos 

A Fiat também ganhou prêmios com o Mille, no segmento de subcompactos, e Punto (compacto superior). Os prêmios para outros segmentos do estudo compreendem o Honda Fit (monocabine) e Toyota Corolla (médio).

O estudo baseia-se na avaliação dos proprietários em relação a seus veículos e concessionárias por meio de quatro métricas de satisfação. Em ordem de importância, são: custo de propriedade (46%), incluindo o consumo de combustível, o valor do seguro e o custo de manutenção/conserto; design e desempenho do veículo (22%), que considera quesitos como conforto e recursos; experiência pós-venda (20%); e qualidade do veículo (12%).
 
Dentre todos os países nos quais a J.D. Power publica esse estudo, os proprietários no Brasil avaliam o custo de propriedade como o quesito de satisfação mais importante. Isto se deve, em parte, ao fato de que eles gastam maior porcentagem de seus ganhos no custo de seus veículos, tais como manutenção, consertos, combustível, impostos, seguro, entre outros, do que os proprietários de veículos em outros países. Em consequência disso, é baixo o nível de satisfação no Brasil, especialmente nos segmentos de subcompactos, compactos de entrada e dos compactos superiores.

O estudo verificou que a relação confiabilidade/durabilidade é de grande consideração na escolha de um modelo entre os proprietários de veículos novos no País. Pouco mais de 50 por cento (51%) dos proprietários de veículos indicaram que esta relação é da maior importância para a compra, seguida de perto pelo consumo de combustível (50%).
 
“A qualidade do veículo não é uma métrica fundamental, no Brasil, apenas para os fabricantes, mas também para o consumidor”, ressalta Jon Sederstrom, diretor geral da J.D. Power do Brasil. “As marcas asiáticas, em média, reportaram 3.06 problemas, comparado com 3.40 problemas reportados pelos proprietários de veículos de todas as outras marcas, independentemente de onde eles foram produzidos”, finaliza o diretor.

O estudo “2012 Brazil Vehicle Ownership Satisfaction Study (VOSS)”  baseia-se na avaliação de mais de 7.500 entrevistas online, realizadas com proprietários de veículos no Brasil, após uma média de dois anos com o veículo. A satisfação geral de propriedade se reflete em um índice de pontuação baseado em uma escala de 1.000 pontos, na qual a pontuação mais alta indica o maior índice de satisfação.  O estudo foi realizado entre abril e junho deste ano.
 

Assine a newsletter semanal do AUTOO!