Toyota e Renault vão suspender produção a partir de segunda-feira (29)

Medida das duas fabricantes tem como objetivo colaborar com o isolamento social
Detalhe do Complexo Ayrton Senna, que reúne as fábricas da Renault em São José dos Pinhais (PR)

Detalhe do Complexo Ayrton Senna, que reúne as fábricas da Renault em São José dos Pinhais (PR) | Imagem: Divulgação

Na tarde desta quinta-feira (25) a Renault do Brasil e a Toyota do Brasil anunciaram que vão suspender a produção de suas fábricas no país a partir da próxima segunda-feira (29). De acordo com os comunicados das duas fabricantes, a decisão tem como principal objetivo colaborar com o isolamento social, uma das principais medidas de combate à pandemia da Covid-19.

No caso da Renault, a empresa manterá o seu Complexo Ayrton Senna, localizado em São José dos Pinhais (PR), com as atividades suspensas de 29/3 a 1/4. Segundo a companhia, considerando o feriado de 2 de abril, a produção será retomada no próximo dia 5. A Renault acrescenta que a decisão está alinhada com o Sindicato dos Metalúrgicos de Curitiba. Confira, abaixo, a íntegra do comunicado da Renault enviado ao AUTOO:

"A Renault do Brasil comunica que vai suspender a produção no Complexo Ayrton Senna, em São José dos Pinhais (PR), no período de 29/3 a 1/4. A decisão tem como objetivo contribuir para o isolamento social neste momento em que diferentes cidades adotaram medidas mais restritivas, e em alinhamento com o Sindicato dos Metalúrgicos de Curitiba. Considerando o feriado do dia 2 de abril, a produção será retomada no dia 5 de abril. Os dias não trabalhados serão compensados oportunamente. Nas fábricas serão mantidas apenas atividades essenciais. Os colaboradores das áreas administrativas seguem em teletrabalho. Desde o início da pandemia nossa prioridade tem sido a saúde dos nossos colaboradores. Implementamos um completo protocolo de saúde e segurança, que segue vigente desde maio de 2020. Ao longo de todo este período operando com a adoção do protocolo, nossa experiência demonstrou que todas as fábricas do Complexo industrial Ayrton Senna são um ambiente seguro". 

A Toyota do Brasil, por sua vez, informou que a parada de suas quatro fábricas poderá durar por até 10 dias corridos. A medida afeta os centros produtivos de São Bernardo do Campo (SP), Indaiatuba (SP), Sorocaba (SP) e Porto Feliz (SP). A fabricante japonesa destaca ainda que “a medida tem como objetivo contribuir com a redução de circulação de pessoas no momento mais crítico da pandemia no País, além de atender a antecipação de feriados por parte de autoridades em algumas dessas regiões”. 

Nesse sentido, as plantas de São Bernardo do Campo, Sorocaba e Porto Feliz têm retorno previsto para o dia 5 de abril, enquanto a unidade de Indaiatuba retornará no dia 6 de abril. Os colaboradores administrativos também respeitarão a antecipação dos feriados. A Toyota do Brasil possui um total de 5.600 colaboradores em todo o País e continuará a agir avaliando a situação momento a momento, seguindo as orientações das autoridades locais e, principalmente, colocando a saúde e o bem-estar de seus colaboradores e de seus familiares em primeiro lugar”, acrescenta o comunicado da marca. 

Além da Toyota e da Renault, a Volkswagen está com todas as suas unidades produtivas paradas desde o último dia 24. A suspensão das atividades seguirá até o dia 4 de abril. Nesta sexta-feira (26), a Mercedes-Benz também vai interromper as atividades de suas fábricas de veículos comerciais em São Bernardo do Campo (SP) e Juiz de Fora (MG) com o objetivo de colaborar com as medidas restritivas de circulação de pessoas. No caso da Mercedes-Benz, a previsão de retorno é para o dia 5/4. A Scania também suspendeu a produção na mesma cidade do Grande ABC paulista entre os dias 26 de março e 4 de abril. 

Em paralelo, a GM América do Sul informou que a produção do Onix e do Onix Plus em Gravataí (SP) deverá retomar o ritmo normal somente em julho. Honda e Fiat também diminuíram o volume de produção por conta da falta de componentes. A Nissan, por sua vez, vai adotar regime de férias coletivas para seus funcionários entre os dias 26/3 e 9/4, com a retomada da produção prevista para 12 de abril. 

Acima a fachada da unidade Anchieta, sede da VW no Brasil que completa 60 anos
Acima fachada da unidade Anchieta, sede da VW no Brasil: empresa também está com as atividades suspensas
Imagem: Divulgação