Toyota Hilux 2025: o que esperar da nova geração da picape

Assim como as novas Ford Ranger e Chevrolet S10, modelo terá aprimoramentos profundos
Projeção de Kleber Silva para a próxima geração da Toyota Hilux

Projeção de Kleber Silva para a próxima geração da Toyota Hilux | Imagem: Kleber Silva/KDesign AG

Os próximos anos prometem ser movimentados para o segmento de picapes médias. Além da nova geração da Ford Ranger, confirmada para estrear no Brasil em 2023, temos no horizonte de médio prazo a renovação completa da Chevrolet S10, Volkswagen Amarok e também da Mitsubishi L200 Triton.

Outra novidade relevante para a categoria e que merece muita atenção é a evolução completa da Toyota Hilux, picape média líder em vendas na categoria aqui no Brasil.

Recentemente, em mercados onde picapes do porte da Toyota Hilux são muito bem aceitas, como Austrália e África do Sul, as primeiras informações de bastidores sobre a atualização do modelo começaram a vir à tona.

O que podemos esperar da nova Hilux

Um primeiro ponto relevante sobre a futura geração da Toyota Hilux é que a picape será baseada em uma plataforma totalmente nova, integrando a família TNGA e preservando a construção de carroceria sobre chassi.

Trata-se da arquitetura GA-F, que estreou com a nova geração do Toyota Land Cruiser 300. Aliás, como veremos, o SUV antecipou diversos elementos que estarão presentes na evolução da picape média.

Ainda sobre a plataforma GA-F, além da estrutura modular ela foi concebida de olho na redução do peso total do veículo, oferece centro de gravidade mais baixo e traz uma melhora na estrutura de fixação da suspensão, pontos que certamente trarão ganhos no comportamento dinâmico, conforto a bordo e suavidade ao rodar. A distribuição de peso otimizada também é outro ponto de destaque da plataforma GA-F.

Uma arquitetura mais sofisticada vai resultar em enormes ganhos para a próxima geração da Toyota Hilux. As novas Ford Ranger e Chevrolet S10, ao que tudo indica, ainda vão preservar suas plataformas atuais, porém com algumas evoluções técnicas.

Voltando ao Land Cruiser 300, também devemos ficar atentos aos novos motores que o SUV estreou na gama Toyota.

Tanto o 3.5 gasolina quanto o 3.3 diesel, ambos V6 biturbo, são fortes candidatos a figurarem sob o capô da nova Hilux.

O câmbio automático de 10 marchas e o sistema de tração 4x4 com reduzida trabalham em conjunto com os dois propulsores.

O 3.5 V6 biturbo a gasolina, no Land Cruiser 300, entrega 415 cv e 66,2 kgfm de torque, enquanto o 3.3 V6 biturbo diesel alcança 309 cv e saudáveis 71,3 kgfm de torque.

Opção híbrida

Além dos propulsores térmicos de maior deslocamento, é praticamente certo que a nova geração da Toyota Hilux deverá ter uma opção eletrificada. Resta saber se a marca vai optar por um conjunto híbrido baseado em um motor térmico a gasolina ou diesel. Uma variante híbrida também é esperada para a nova Ranger.

Enquanto ainda são raros os protótipos da nova Toyota Hilux circulando ao redor do mundo, o designer Kleber Silva preparou duas projeções para a próxima geração da picape tomando como base utilitários de maior porte da marca lançados recentemente, como o próprio Land Cruiser 300.

Como notamos nas ilustrações, podemos esperar por linhas robustas, abusando de ângulos retos para conferir visual mais parrudo, em especial na dianteira da picape.

Segundo as apurações iniciais, a nova geração da Toyota Hilux poderá ser revelada em torno de 2024, inaugurando a linha 2025 do modelo.

Nos seis primeiros meses deste ano, a Toyota Hilux seguiu, com folga, na dianteira do segmento. Ela soma 19.237 unidades comercializadas de janeiro a junho. Em segundo lugar, aparece a Chevrolet S10 com 12.785 emplacamentos, enquanto a Ford Ranger completa o pódio com 9.803 unidades chegando ao mercado brasileiro no mesmo período.

Entre as bases para as ilustrações figuram SUVs e picapes recentes da Toyota
Entre as bases para as ilustrações figuram SUVs e picapes recentes da Toyota
Imagem: Kleber Silva/KDesign AG