Veículos elétricos ganham categoria nas estatísticas de emplacamentos

A partir de janeiro de 2013 carros verdes tem uma categoria para chamar de sua nos licenciamentos no Brasil

Toyota Prius | Imagem: Toyota

A Anfavea, Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, finalmente incluiu a categoria de veículos elétricos nos resultados dos licenciamentos, conforme apurou o site Automotive Business. Na denominação utilizada no Renavam/Denatran, a nova categoria inclui as versões elétrico/fonte externa, elétrico/fonte interna e o híbrido, que combina o motor elétrico a outro a combustão.

Essa inclusão representa um tímido começo se levarmos em conta que no Brasil esses veículos não têm categoria própria nem na tabela de impostos da Receita Federal e são tributados como "outros". Isso significa que sobre eles incidem 25% de IPI, enquanto os automóveis convencionais pagam cerca de 7% de imposto. Para os importados, há ainda 35% de alíquota de Tarifa Externa Comum.

O mercado nacional possui atualmente quatro modelos no segmento de híbridos e elétricos, o Mitsubishi iMiev, o Ford Fusion Hybrid, o Toyota Prius, cujas vendas começaram em janeiro deste ano, e o elétrico Nissan Leaf, cedidos em comodato pela marca japonesa para frotas de táxis da capital paulista. Para abril está confirmada a chegada de mais um, o BMW série 3 híbrido.

As montadoras não recebem incentivos para investir em “carros verdes” no Brasil já que os impostos sobre eles são exorbitantes e as poucas vendas não viabilizariam o esforço. Mesmo assim, em janeiro deste ano a Anfavea contabilizou a venda de 45 unidades. Um número surpreendente se considerarmos que durante todo o ano de 2012 foram emplacados somente 117 carros dessa categoria.

Após o carnaval o governo vai iniciar debates para, quem sabe, definir uma política para a matriz energética automotiva. E já avisaram que o processo será demorado.

Veja também: Carro mais econômico do Brasil é híbrido

Assine a newsletter semanal do AUTOO!