O que parece ser lógico está longe de ser verdade: carros conversíveis não foram feitos para lugares quentes. Pelo menos no Brasil essa regra impera. Apesar das belas paisagens e do calor, nosso país está no final da fila quando se trata de números de vendas desse tipo de modelo.

Curiosamente, um dos mercados mais reluzentes (ao menos no nome) para os carros com capota retrátil é a fria e escura Inglaterra. Claro que há exceções como a ensolarada Califórnia, nos Estados Unidos, mas o Brasil também peca por outro problema, a falta de segurança nas grandes cidades, que torna o recurso um tanto temerário.

Venda difícil

Não é à toa que até mesmo a Maserati, a irmã gêmea da Ferrari, tenha lançado uma promoção para tentar emplacar algumas unidades do belo GranCabrio, um conversível de quatro lugares que oferece conforto até no banco de trás, coisa rara nesses veículos. Lançada no país em maio deste ano, a versão não aparece nos relatórios de vendas da marca, a despeito de 14 unidades do cupê GranTurismo terem sido emplacadas até outubro ( Consultada, a assessoria da marca prometeu levantar a quantidade de unidades vendidas este ano e negou que a ação tenha relação com a falta de clientes).

Segundo a representante da marca no Brasil, a Via Italia, o GranCabrio ganhou desconto de 10% passando a custar R$ 800.000 que podem ser pagos sem juros mediante 50% de sinal e 10 parcelas de R$ 40.000. Uma pechincha para os clientes dessa classe abastada. Só não existe garantia que eles um dia resolvam recolher a capota do modelo.

Conheça os carros mais vendidos do Brasil nos últimos 10 anos

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO, é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier | http://www.jcceditorial.com.br/