VW pode ter desistido de produzir a sucessora da Amarok na Argentina

Segundo jornal argentino, parceria da fabricante alemã com a Ford não deverá mais ocorrer
Projeção de Nikita Chuyko sobre a próxima geração da VW Amarok

Projeção de Nikita Chuyko sobre a próxima geração da VW Amarok | Imagem: Kolesa/Nikita Chuyko

Notícia muito importante foi publicada pelo argentino Ámbito Financiero neste fim de semana. Segundo fornecedores ouvidos pelo jornal, a parceria entre a Ford e a Volkswagen não deverá sair do papel no país vizinho.

Um executivo da marca norte-americana informou a esses fornecedores que o término da parceria na região da América do Sul ocorreu por parte da Volkswagen. De acordo com rumores, problemas de custos e a queda na demanda local teriam motivado a fabricante alemã a tomar a decisão

Apenas para recapitular, as duas companhias estabeleceram há cerca de dois anos um acordo em que caberia à Ford desenvolver uma nova picape média, que serviria como sucessora tanto para a Amarok, na linha VW, como para a Ranger. A montadora alemã, por sua vez, iria fornecer à coligada norte-americana vans comerciais em mercados como o Europeu.

Chamado nos bastidores de “Projeto Cyclone” - ou pela designação 573 nas duas companhias –, a ideia é de que a iniciativa resultasse em um volume de produção da ordem de 100 a 120 mil unidades por ano pela Ford em sua fábrica de General Pacheco, na província de Buenos Aires.

Isso, sem dúvida, ajudaria a Ford a eliminar uma gigantesca ociosidade na planta em questão, que atualmente produz menos de 50 mil unidades por ano somente da Ranger. O motivo pelo qual a fábrica encontra-se subutilizada decorre do fim da fabricação da linha Focus, que foi descontinuada na região há um ano.

A fábrica da VW, que é vizinha à da Ford, hoje produz a Amarok e terá também a companhia do SUV médio derivado do projeto Tarek. A questão é que, se deixar de produzir a picape média no local, a Volkswagen irá se deparar com o mesmo dilema que a Ford enfrenta hoje na Argentina.

Pelas informações conseguidas pelo Ámbito Financiero, a Volkswagen estaria negociando um novo aporte financeiro para produzir um segundo modelo em Pacheco ao lado do Tarek, o que permitiria que a planta alcançasse um nível de produção da ordem de 100 mil unidades/ano. Contudo, a divisão sul-americana da VW não conseguiu até o momento efetivar esse novo investimento, situação que foi ainda agravada pela pandemia da Covid-19. 

Por fim, os fornecedores ouvidos pelo jornal argentino alegaram que a ideia da Ford é seguir com o projeto da nova Ranger em Pacheco, sendo que a picape totalmente renovada deve estrear em 2022 e ter um volume de produção anual de 60.000 unidades.

O executivo da Ford, acrescentam os fornecedores, descartou a possibilidade da marca acrescentar um segundo modelo ao lado da nova Ranger em Pacheco. Muito já foi dito nos bastidores que a empresa poderia produzir o Territory localmente dependendo da aceitação dele por aqui. A novidade é um SUV médio previsto para estrear ainda neste ano no Brasil importado da China.

A questão envolvendo a parceria entre Ford e Volkswagen nos mostra que, muitas vezes, as parcerias estratégicas entre diferentes marcas têm alguns percalços. A Mercedes-Benz, por exemplo, desistiu de produzir na Argentina a Classe X, picape média que deveria ser feita ao lado de Nissan Frontier e Renault Alaskan no país vizinho.

Na Argentina, a Volkswagen não se manifestou sobre o assunto, enquanto a Ford declarou oficialmente que “os planos para a Ranger na Argentina seguem como estavam previstos”.

Volkswagen Amarok 2018
Volkswagen Amarok
Imagem: Divulgação

Assine a newsletter semanal do AUTOO!