Com novos modelos, Citroën quer vender 4 vezes mais no Brasil

Meta da fabricante é alcançar 4% de participação de mercado no país até o fim de 2024
Citroën C3 2022

Citroën C3 2022 | Imagem: Divulgação

A Citroën apresentou nesta sexta-feira (12) mais detalhes de sua estratégia “Citroën 4 All”, como será chamado o plano de atuação da marca no Brasil até o fim de 2024. 

A meta da companhia é quadruplicar sua participação de mercado no Brasil dentro do período em questão.

Atualmente, ao somarmos automóveis de passeio e comerciais leves, a Citroën detém 1,08% do mercado nacional, levando em consideração os dados de janeiro a outubro deste ano. 

A empresa espera ainda dobrar sua participação no mercado argentino, atualmente em 7%; superar os 3% de participação no Chile e conquistar, até o fim de 2024, pelo menos 4% de participação em vendas na América do Sul. 

Para tanto, o programa C-Cubed terá um papel fundamental. 

Desenvolvido majoritariamente na Índia e tendo como foco mercados emergentes, dentro do programa C-Cubed está inserida a nova geração do Citroën C3, que será lançada no Brasil no início de 2022. 

Dentro do projeto também estão contemplados outros dois produtos, um previsto para 2023 e outro para 2024, sendo que, até o momento, a Citroën não entrou em detalhes sobre o que podemos esperar de cada um deles. 

Leia também
Além do C3, Citroën prepara dois novos modelos para o Brasil
Novo C3 terá preço competitivo e baixo custo de manutenção, adianta Citroën
Nova geração do Citroën C3 é revelada! Estreia no Brasil será em 2022

É fato que, assim como a nova geração do C3, certamente as outras duas novidades deverão ter como premissa o bom custo-benefício e atuar em segmentos de maior volume, permitindo assim que a marca eleve seus números de emplacamentos. 

Outro ponto relevante sobre a estratégia comercial da nova fase da Citroën no Brasil passa pela ampliação do número de concessionárias. A previsão é um crescimento de 50% na quantidade de revendedores, passando dos atuais 123 para 175 já no próximo ano. 

Com a iniciativa, a Citroën espera alcançar 80% de capilaridade no território nacional. 

Outro tópico fortemente realçado por Vanessa Castanho, atual responsável pela Citroën na América do Sul, será o trabalho para aprimorar a “confiança” do público na marca. 

Essa confiança é conquistada e garantida por uma completa rede de ações que engloba, por exemplo, a sólida qualidade dos veículos e a forte estratégia de integração local de peças e componentes integrada ao projeto C-Cubed, que permitirá a Citroën trabalhar com custos mais competitivos de peças e revisões.

Essa qualidade e integração local, são os pilares essenciais dos três modelos que serão desenvolvidos e produzidos localmente nos próximos anos. Eles também serão ampliados para toda a gama comercializada pela Citroën no país e na região. A Marca ainda conta com todas as sinergias proporcionadas pela Stellantis, assim como a estrutura de engenharia e desenvolvimento do Grupo”, destaca a executiva. 

Segundo Castanho, também estão previstos dentro do plano "Citroën 4 All" lançamentos entre os segmentos de veículos de médio porte, incluindo importados. 

Van elétrica no Brasil 

Ainda para este ano, a Citroën confirmou o lançamento da van comercial elétrica ë-Jumpy, modelo que marca o início da eletrificação do portfólio da empresa no Brasil. 

A van em questão é uma irmã de projeto da Peugeot e-Expert, que também está com a estreia confirmada para nosso mercado. 

A e-Expert, no caso, conta com 135 cv de potência e 26,5 kgfm de torque. A autonomia, no caso, pode variar dependendo da versão.

Citroën ë-Jumpy
Citroën ë-Jumpy
Imagem: Divulgação