Brasil incluído: a partir de 2035, GM vai abandonar motores a combustão

Empresa também assumiu o compromisso de ser neutra em carbono até 2040
Acima teaser do futuro Bolt EUV 2022, crossover elétrico que será lançado neste ano pela Chevrolet

Acima teaser do futuro Bolt EUV 2022, crossover elétrico que será lançado neste ano pela Chevrolet | Imagem: Divulgação

Anúncio muito importante foi realizado pela General Motors nesta quinta-feira (28). A empresa se comprometeu em ser neutra em carbono até 2040, levando em consideração seu portfólio de produtos e operações globais, tais como fábricas, entre outras atividades relacionadas.

No campo de produtos, a empresa destacou que tem a “aspiração de eliminar as emissões de novos veículos leves até 2035”, sendo que, para tanto, vai desenvolver produtos que se encaixem em diversas faixas de preços. A estratégia da GM tem caráter global, portanto o Brasil está incluído no novo direcionamento da empresa. 

Ainda em seu comunicado, a GM acrescenta que está trabalhando com empresas como a EDF para “construir a infraestrutura de carregamento necessária e promover a aceitação do consumidor”. 

Para atingir seus objetivos, a GM planeja descarbonizar seu portfólio ao fazer a transição para veículos elétricos a bateria ou outra tecnologia de veículos com emissão zero, obtendo energia renovável e aproveitando compensações ou créditos mínimos”, detalha a companhia norte-americana. 

Segundo a gigante global, seus veículos respondem atualmente por 75% das emissões de carbono relacionadas à empresa. Para tanto, a GM anunciou que suas marcas vão oferecer 30 modelos 100% elétricos ao redor do mundo até meados da década. Só nos EUA, 40% dos modelos da empresa comercializados serão elétricos a bateria até o fim de 2025. 

Chevrolet Bolt 2020
Chevrolet Bolt 2020
Imagem: Divulgação

Para tanto a companhia vai investir US$ 27 bilhões globalmente em tecnologias de propulsão alternativa bem como condução autônoma ao longo dos próximos 5 anos. “Mais da metade dos gastos de capital e da equipe de desenvolvimento de produtos da GM serão dedicados a programas de veículos elétricos e autônomos. E, nos próximos anos, a GM planeja oferecer um veículo elétrico para cada tipo de cliente, de crossovers e SUVs a caminhões e sedãs”, relata a GM. 

Enquanto não ocorre a migração completa para veículos com emissão zero, a GM acrescenta que “continuará a aumentar a eficiência de combustível de seus veículos tradicionais de combustão interna de acordo com a economia e os regulamentos de gases de efeito estufa regionais. Algumas dessas iniciativas incluem tecnologias de melhoria de economia de combustível, como Stop/Start, melhorias de eficiência aerodinâmica, motores reduzidos, transmissões mais eficientes e outras melhorias de veículos, incluindo redução de massa e pneus com menor resistência ao rolamento”. 

Para lidar com as emissões de suas próprias operações, a GM irá fornecer 100% de energia renovável para abastecer suas instalações nos EUA até 2030 e, globalmente, até 2035, o que representa uma aceleração de cinco anos da meta global anunciada anteriormente pela empresa. Para contabilizar as possíveis emissões de carbono remanescentes, a GM planeja investir em créditos ou compensações. 

Por fim, revela a GM, "embora os veículos elétricos em si não emitam emissões, é fundamental que sejam carregados com eletricidade gerada por fontes renováveis, como eólica e solar. A GM tem trabalhado com concessionárias e desenvolvedores para apoiar investimentos em energia renovável encontrados dentro e ao redor das comunidades que têm instalações da GM por meio de contratos de compra de energia e tarifas verdes. A empresa acredita que o setor de energia está a caminho de uma rede descarbonizada e que um futuro totalmente elétrico será apoiado por infraestrutura e tecnologia renováveis”. 

Chevrolet Bolt 2020
Chevrolet Bolt: modelo 100% elétrico da marca à venda no Brasil 
Imagem: Divulgação