Carro por assinatura: serviço está caindo no gosto dos brasileiros

Diversas marcas e locadoras já oferecem a solução de mobilidade no país
Ponto de atendimento da Flua! em uma loja Fiat

Ponto de atendimento da Flua! em uma loja Fiat | Imagem: Divulgação

Serviço que alivia o motorista das obrigações de se preocupar com a burocracia da documentação, seguro e manutenção, os carros por assinatura estão ganhando força entre os brasileiros, tanto entre consumidores acostumados a adquirir um veículo, bem como entre pessoas jurídicas, que enxergam na nova modalidade uma forma de otimizar a administração de sua frota de veículos.

Aqui no Brasil, a Renault passou a oferecer o serviço de mobilidade em janeiro e já celebra bons resultados. Chamado pela marca de Renault On Demand, a plataforma atingiu neste mês 1.500 contratos assinados e mais de 400 carros entregues, destaca a fabricante.

No caso do Renault On Demand, os interessados têm à disposição planos de 12, 18, 20 ou 24 meses, com valores a partir de R$ 1.059 mensais. No momento da adesão o cliente também pode escolher os planos de quilometragem, com opções de 500, 1.000, 1.500 e 2.000 quilômetros mensais. Toda a contratação é feita de forma online em site dedicado ao serviço. A iniciativa da marca francesa inclui na parcela mensal os gastos com manutenção (revisões preventivas e troca de peças de desgaste natural, incluindo também a troca de pneus), gestão de documentos (todos os documentos e taxas relacionados ao veículo como IPVA e licenciamento) e seguro com assistência 24 horas. 

São elegíveis ao Renault On Demand o Kwid Zen 1.0, Kwid Outsider 1.0, Stepway Iconic 1.6 CVT e Duster Iconic 1.6 CVT. Ao término do plano, o cliente poderá optar pela renovação antecipada e assim, receber o novo veículo na data de devolução do antigo. “Estamos atingindo um público mais jovem do que o que temos na base de financiamentos, o que significa que estamos trazendo novos clientes para a marca. Também estamos atraindo o interesse do segmento de pequenas empresas”, analisa Ricardo Gondo, presidente da Renault do Brasil, sobre o serviço. 

Além da Renault, a Volkswagen oferece o Sign&Drive no país e a Stellantis conta com o Flua!, que oferece modelos da Jeep e Fiat na modalidade de assinatura mensal. Ao todo são oito modelos da marca italiana que integram o programa, no caso o Argo, Strada, Toro, Cronos, Grand Siena, Doblò, Fiorino e Ducato. Na gama Jeep, apenas os representantes nacionais Renegade e Compass integram o serviço. 

Em março deste ano, a CAOA Chery também aderiu à modalidade e passou a oferecer ao público em geral seus planos de assinatura de 12 ou 24 meses válidos para o Tiggo 5X, Tiggo 7 e Tiggo 8. O valor de mensalidade para o Tiggo 5X é de R$ 1.899 para a assinatura básica de 12 meses e de R$ 1.747,08 no plano de 24 meses. Já o Tiggo 7 parte de R$ 2.877 no plano de um ano e de R$ 2.646 para dois anos, enquanto o Tiggo 8 tem assinatura mensal de R$ 3.999 na primeira opção, ou de R$ 3.679 para os 24 meses. O custo já inclui documentação e licenciamento, além de serviço de proteção contra furto, colisões e terceiros. 

A Toyota, por sua vez, aposta como solução de mobilidade o aluguel de veículos operado pela Kinto, sua subsidiária no setor. De acordo com a fabricante japonesa, seu serviço de compartilhamento de automóveis no Brasil, chamado Kinto Share, teve um resultado 38% maior nos agendamentos realizados por meio do aplicativo se comparado ao projetado no início da operação. No total, foram mais de 20 mil usuários cadastrados na plataforma e seis mil diárias de aluguel realizadas. Nos últimos três meses de 2020, destaca a Toyota, a taxa de ocupação da frota foi superior aos parâmetros de mercado, alcançando 83% em dezembro. "A curva de demanda do Kinto Share no final do ano passado provou que houve, de fato, uma mudança acentuada no comportamento do consumidor, que procurou mais fortemente por soluções de mobilidade aliando segurança, praticidade e exclusividade", analisa Roger Armellini, diretor de mobilidade da Toyota.

Vale a pena contratar um carro por assinatura? 

analisamos a questão em duas oportunidades aqui no AUTOO, a primeira delas ainda em 2019, quando a modalidade engatinhava no país e algumas poucas locadoras ofereciam o serviço. À época, ficou claro que o grande diferencial dos carros por assinatura residiam muito mais na conveniência oferecida pelo serviço —  uma vez que a única preocupação é abastecer o carro e rodar — contudo o custo ainda era superior do que adquirir o veículo e cuidar de todos os trâmites burocráticos.  

É fato que, para as locadoras, o sistema é muito interessante uma vez que, ao adquirir os carros novos para os clientes, parte do custo do automóvel para a empresa é amortizado e elas ainda lucram consideravelmente na hora de vender o bem no mercado de seminovos com cerca de um ano de uso. Para as fabricantes, por sua vez, o sistema de carro por assinatura ajuda a impulsionar a demanda por modelos 0 km e alimenta o mercado de carros usados nas concessionárias.   

Graças ao aumento da concorrência, principalmente com o foco das montadoras, o serviço está se tornando bem mais competitivo. Em nossa análise mais recente, considerando um Kwid Zen adquirido pelo Renault On Demand, de fato a escolha do serviço mostrou-se interessante dependendo da situação e tipo de uso do automóvel. 

Renault Kwid 2018
Renault Kwid em sua versão Zen oferece custo competitivo para a assinatura mensal 
Imagem: Divulgação