Chevrolet Monza: sedan seria um bom sucessor para o Cruze no Brasil?

Modelo já foi flagrado em testes no México, sinalizando uma aproximação do sedan de nossa região
Chevrolet Monza em suas variantes RS e Redline

Chevrolet Monza em suas variantes RS e Redline | Imagem: Divulgação

O segmento de sedans é um dos poucos que consegue resistir ao avanço global dos SUVs até mesmo por conta de sua proposta singular e o formato mais clássico de sua carroceria.

Aqui no Brasil, o Chevrolet Cruze ainda conta com um bom fôlego nas vendas, ficando logo atrás de Toyota Corolla e Honda Civic entre os modelos mais vendidos na categoria.

A grande questão é que o futuro do três volumes parece cada vez mais indefinido. Em janeiro deste ano, a fábrica argentina da GM em Alvear tornou-se a única no mundo a seguir produzindo o modelo, já descontinuado na Coreia do Sul, México e Estados Unidos. Uma terceira geração do sedan parece cada vez mais improvável, uma vez que até mesmo na China ele não tem seguirá mais no mercado.

Mas é da potência asiática que surge uma solução bem interessante caso a Chevrolet queira seguir no segmento de sedans médios aqui no Brasil.

Interior do Chevrolet Monza vendido na China
Interior do Chevrolet Monza vendido na China
Imagem: Divulgação

Com um nome mais do que conhecido entre nós, o Chevrolet Monza chinês foi flagrado recentemente em testes no México, sinalizando que a fabricante norte-americana vislumbra um potencial do modelo em nossa região.

De fato, olhando a ficha técnica no Chevrolet Monza, temos um sedan que se destacaria com facilidade entre alguns de seus rivais diretos.

Com um estilo de design que remete aos novos Onix e Tracker, o Monza conta com uma carroceria de orientação mais esportiva e bem esculpida nas formas. Seu porte também está alinhado com modelo de sucesso no segmento. Com 4,63 m de comprimento e 1,79 m de comprimento em sua variante esportiva Redline, o Monza empata em termos de dimensões com um Toyota Corolla atual.

Lançado em março de 2019 na China, o Monza pode receber sob o capô os motores 1.0 e 1.3, ambos turbo, e o 1.5 aspirado. Recentemente, em maio deste ano, o sedan ganhou uma variante híbrida-leve com sistema elétrico de 48V, que ajuda a aprimorar a eficiência no uso de combustível. Dependendo da versão, o Monza pode receber uma transmissão de dupla embreagem com 6 marchas ou uma caixa automática convencional.

Apresentada no Brasil em 2016, a atual segunda geração do Cruze recebeu uma atualização visual em 2019, garantindo uma sobrevida de pelo menos dois a três anos, no máximo, para o sedan. É inegável que o Cruze ainda entrega um bom conjunto, tendo como destaques o motor 1.4 turbo e o bom nível de equipamentos que pode receber em seu catálogo topo de linha Premier. Porém, na medida em que os concorrentes diretos também vão se aprimorando, é inexorável que a Chevrolet vai precisar definir uma estratégia caso queira seguir no segmento de forma competitiva olhando para o médio prazo.

Um nome que já fez muito sucesso no Brasil, certamente uma volta do Monza ao mercado até que poderia ser uma ideia bem interessante…

Chevrolet Monza vendido na China
Chevrolet Monza vendido na China
Imagem: Divulgação