Com variante híbrida nos planos, picape média da Peugeot estreia em 2021

Francesa será mais uma fabricante a entrar na ofensiva de modelos do segmento
Projeção de Kleber Silva sobre a futura picape média da Peugeot

Projeção de Kleber Silva sobre a futura picape média da Peugeot | Imagem: Kleber Silva

Você já conferiu aqui no Autoo que a Hyundai definiu sua entrada no segmento de picapes aqui na América do Sul e demais mercados com um modelo mais robusto, utilizando carroceria sobre chassi como os modelos mais vendidos no segmento.

As principais fabricantes globais não escondem que o segmento de picapes, em especial de médio porte para cima, deverá responder por uma participação de mercado cada vez maior, rivalizando com os SUVs a preferência do público. Do ponto de vista empresarial, não poderia haver notícia melhor, uma vez que as picapes atuam em uma faixa de preço mais elevada, proporcionando um lucro maior em cada unidade vendida.

Se marcas norte-americanas como a Ford e a GM contam com ampla experiência e produtos de muito sucesso na categoria – a F150 é o veículo mais vendido nos EUA há mais de quatro décadas – o segmento também não esconde alguns desafios. A Mercedes-Benz, por exemplo, não parece muito satisfeita com sua Classe X, tanto que suspendeu a oferta da picape no Brasil e demais países da região.

De qualquer forma, por mais que o ambiente seja competitivo, diversas montadoras querem deixar a sua marca na categoria, incluindo as francesas do grupo Peugeot Citroën.

Desenvolvida em conjunto com a chinesa Changan, o que ajuda a reduzir de forma considerável os montantes gastos na hora de se desenvolver um veículo totalmente novo, a Peugeot deverá lançar sua inédita picape média em 2021. Com uma forte demanda por veículos desse tipo aqui na América do Sul, é certo afirmar que Argentina e Brasil devem receber a novidade.

A futura picape média da Peugeot será uma irmã da Kaicene F70 e, tomando como base o modelo chinês, deverá contar com 5,33 m de comprimento, cabine dupla e poderá transportar mais de uma tonelada na caçamba. Em termos de tamanho e capacidade, portanto, será um modelo coerente com as concorrentes. Claro que, em relação à Kaicene F70, a picape média da Peugeot terá elementos visuais (grade, para-choques, entre outros) próprios, bem como acabamento interno em linha com os modelos mais recentes da fabricante francesa. O designer Kleber Silva usou como base o modelo chinês para produzir a ilustração que você confere logo acima do texto e nos antecipa o que podemos esperar da novidade. 

No país asiático, a Kaicene F70 conta com motor 2.5 turbodiesel fornecido pela Isuzu. Na picape com a chancela da Peugeot, contudo, deverão figurar sob o capô propulsor da própria marca como o 2.0 turbodiesel. Como não pode deixar de ocorrer em um produto com essas características, a picape média oferecerá opção de câmbio automático e tração 4x4. Até mesmo uma variante híbrida está nos planos da Peugeot para sua primeira picape média, opção que pode estrear por volta de 2025. Interessante destacar que já é certo para a próxima geração da Toyota Hilux uma opção eletrificada com o objetivo de reduzir emissões e consumo, portanto, com isso, a novidade da Peugeot estaria preparada para acompanhar o salto da concorrência.

Por fim, de acordo com notícias dos bastidores, para abastecer a Argentina, Brasil e demais países vizinhos, a PSA poderá fabricar a picape média da Peugeot no Uruguai, contratando as instalações da Nordex para isso. Os furgões Citroën Jumpy e Peugeot Expert já são montados no local e, ao que tudo indica, de uma forma satisfatória para os franceses. Vamos acompanhar de perto as evoluções do projeto e seguiremos noticiando aqui no Autoo!

Peugeot
Acima a Kaicene F70: a irmã chinesa da futura picape média da Peugeot
Imagem: Reprodução internet/Ferd

Assine a newsletter semanal do AUTOO!