Fabricantes alertam: esta pode ser ''a pior crise que já impactou a indústria automobilística na história''

Declaração foi feita pela OICA, entidade que congrega mundialmente associações do setor automotivo
Detalhe da fábrica da Vauxhall em Eisenach, Alemanha

Detalhe da fábrica da Vauxhall em Eisenach, Alemanha | Imagem: Divulgação

A OICA, entidade que congrega associações automotivas de 37 países, revelou nesta semana um comunicado importante sobre os impactos da pandemia desencadeada pelo novo coronavírus.

Segundo o presidente da Organização Internacional dos Construtores de Automóveis, Fu Binfeng, a situação pela qual atravessa o mundo no momento “poderá ser a pior crise que já impactou a indústria automobilística na história". A opinião é corroborada por alguns especialistas ouvidos pela entidade.

O ano de 2019 foi um ano sombrio, que apresentou um declínio de mais de 5% na produção mundial de veículos (uma queda para 91,8 milhões de unidades) e que interrompeu um período de 10 anos de crescimento do setor. Agora, no início de 2020, a indústria automotiva encara um novo desafio sem precedentes”, acrescenta o comunicado da OICA.

Os choques iniciais da Covid-19 começaram em janeiro, com a paralisação da maior parte do parque industrial chinês, causando a redução na produção de partes e componentes e impactando as indústrias no mundo inteiro. O avanço global do vírus, nas últimas semanas, resultou no fechamento de grande parte da indústria automobilística mundial e de muitos dos seus fornecedores.

Segundo Binfeng, "a preocupação dos fabricantes e fornecedores do mundo todo com a saúde e segurança dos seus funcionários fez com que medidas sanitárias drásticas fossem tomadas, levando a grande redução da produção e até a paralisação de fábricas, mesmo em locais onde as autoridades locais não recomendaram ou nem decretaram essa obrigatoriedade".

Como já noticiamos, em vários países as montadoras estão ajudando as pessoas afetadas pelo vírus da Covid-19, através da criação de projetos humanitários que variam desde a produção de respiradores até a facilitação do transporte de emergência e de serviços médicos.

"As várias associações nacionais das indústrias de veículos automotores, membros da OICA, estão envolvidas de perto com seus respectivos governos e parceiros, num diálogo construtivo com o objetivo de suavizar o impacto desta crise e assegurar a rápida recuperação do setor, que contribui de forma importante para a economia e o bem-estar mundial. Eu não tenho dúvidas que a indústria automotiva mundial, como já fez inúmeras vezes no passado, irá provar sua importância, sua força e sua resiliência", conclui Fu Binfeng.

Jeep Compass na linha de produção da fábrica de Melfi, Itália
Jeep Compass na linha de produção da fábrica de Melfi, Itália
Imagem: Divulgação

Assine a newsletter semanal do AUTOO!