Fevereiro repete queda nas vendas de carros importados

Segundo o presidente da Abeiva, marcas associadas também temem pelo fechamento de concessionárias

Modelo é um dos mais vendidos na China | Imagem: Ricardo Meier

As vendas de veículos das marcas associadas à Abeiva (Associação Brasileira das Empresas Importadoras de Veículos Automotores) fecharam o mês de fevereiro com 10.430 unidades emplacadas, queda de 8,2% em comparação a janeiro. Esse resultado dá seqüência a redução das vendas de carros importados fora do eixo México-Mercosul, que vem acontecendo desde outubro, quando o foi anunciado o aumento do IPI.

De acordo com os dados da associação, se comparado com o mesmo período de 2011, houve ainda uma redução de 12,3%.

Com esses números, as associadas à Abeiva passam a responder por apenas 4,42% do volume total de vendas no mercado brasileiro, resultado 0,08% inferior ao mês de janeiro e 0,18% menor que fevereiro do ano passado.

“O que prevíamos há aproximadamente quatro meses atrás está se confirmando neste momento. O mercado está instável e sem referencias de preços, com exceção dos veículos importados do México e da Argentina que não pagam pelo imposto de importação e também não sofreram com a alta do IPI”, analisa José Luiz Gandini, presidente da Abeiva.

Leia também: Diante da alta do IPI, marcas premium pensam seriamente em produzir no Brasil

Mas, de acordo com um executivo de uma das marcas que importa veículos, o resultado fraco de fevereiro se justifica porque o mercado está passando por um período de transição, no qual muitas das fabricantes estão esgotando o estoque de carros que vieram antes do aumento do IPI.

Entre as montadoras que estão em baixa, a Kia lidera com queda de 53,4% em comparação a janeiro de 2011. Mas há marcas que, mesmo com todo esses eventos, continuam em expansão, destaque para a Chery, que obteve crescimento de 88,2% no mesmo período.

Veja também: quais montadoras realmente cresceram em 2011

Gandini ainda disse que, por causa dos resultados negativos dos últimos meses, as marcas estão revendo a abertura de novos pontos de atendimento.

“Tínhamos a expectativa de encerrar o ano de 2011 com 1.100 concessionárias de veículos importados. Estacionamos em 848 e agora tememos pelo fechamento de algumas dessas lojas que, por conseqüência, deverá gerar a queda de postos de trabalho” disse Gandini.

Abeiva de presidente novo

O atual presidente da Abeiva também aproveitou para apresentar o seu substituto que assumirá o cargo a partir dos próximos dias. Flavio Padovan, diretor-presidente da Jaguar e Land Rover do Brasil, foi eleito o novo dirigente da associação na manhã dessa quinta-feira (15) com mandato para os próximos dois anos.

Ele, que também já atuou no departamento de Marketing e Vendas da Volkswagen, terá Marcel Vicente, da Porsche, como vice-presidente e Ricardo Struntz, da CN Auto, como diretor financeiro.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!