Quem acompanhou o lançamento do Fiat Argo Trekking certamente sentiu falta de uma opção automática, tipo de câmbio que todos os concorrentes, como o Ford Ka FreeStyle, Chevrolet Onix Activ e Hyundai HB20X, oferecem a seus consumidores.

A opção por lançar o Argo Trekking no momento nos parece uma estratégia da Fiat não só para incrementar a linha com uma versão desejada pelos consumidores, mas também realizar algum lançamento em um ano que será relativamente parado para a Fiat.

Mas tudo promete mudar a partir de 2020. Segundo o Autoo apurou, no próximo ano a Fiat vai começar alguns de seus modelos com os novos motores turbo que a marca já oferece na Europa, derivações dos propulsores 1.0 e 1.3 da família Firefly já usada aqui no Brasil.

“A chegada dos motores turbo na gama Fiat virá junto com a estreia dos modelos 2021, portanto a partir do ano que vem”, nos revela a fonte.

A introdução de motores mais eficientes é algo fundamental dentro da linha Fiat hoje em dia, uma vez que o propulsor 1.8 16V aplicado nas versões mais caras de Argo e Cronos, bem como na Toro de entrada, está longe de oferecer um consumo muito bom. Isso, sem sombra de dúvida, acaba impactando nas vendas do hatch e do sedan, que acabam perdendo espaço para a dupla VW Polo e Virtus nas versões mais caras. Os modelos da Volkswagen têm no propulsor 1.0 TSI em grande argumento de venda.

Outro ponto muito positivo que veremos na linha Fiat a partir de 2020 será uma difusão maior de versões automáticas na gama, o que certamente beneficiará em muito as gamas Argo e Cronos. Alguns rumores dão conta de que a Fiat poderá até introduzir um câmbio automático do tipo CVT (relações continuamente variáveis) na gama, porém o martelo ainda não está batido.

“Sobre a questão dos câmbios, ainda estamos realizando alguns estudos. Todas as possibilidades estão na mesa, seja o automático convencional ou o CVT. Tudo vai depender de contas e um acerto entre nossos times de engenharia e financeiro, assim que chegarmos a um compromisso ideal vamos definir qual será a transmissão escolhida”, nos revela uma fonte da marca.

Fato é que a Fiat precisa resolver em especial o que fará com as versões 1.3 de Argo e Cronos, que hoje contam apenas com a opção robotizada GSR para quem deseja um carro sem o pedal de embreagem. Esse tipo de transmissão, contudo, apesar do preço menor não caiu no gosto da maior parte dos consumidores por aqui devido à falta de conforto nas trocas de marcha quando opera no modo automatizado. Certamente um Argo ou um Cronos 1.3 com câmbio CVT ou automático seria uma pedida bem mais interessante, incluindo também a nova versão Trekking.

Com a futura movimentação, a Fiat certamente vai ganhar mais competitividade frente à rivais que prometem chegar com força no mercado, como as novas gerações dos Chevrolet Onix e Prisma/Onix Sedan. Argo e Cronos já contam com um bom projeto, só falta mesmo à dupla conjuntos mecânicos mais modernas em suas versões mais caras, algo que chegará em boa hora a partir do ano que vem.

 

Fiat ainda vai definir se permanece com o câmbio automático convencional ou parte para uma caixa CVT
Fiat ainda vai definir se permanece com o câmbio automático convencional ou parte para uma caixa CVT
Imagem: Divulgação

 

César Tizo

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo | http://www.jcceditorial.com.br/