Ford atrasará Bronco, entregas do Mustang Mach-E e a nova F-150 por conta da pandemia

Em 2020, a Ford já acumulou US$ 5 bilhões (R$ 28,5 bilhões) em prejuízos até abril
Ford Mustang Mach-E

Ford Mustang Mach-E | Imagem: Divulgação

A Ford já anunciou que a estreia da F-150 de nova geração, o veículo mais vendido dos EUA há décadas, seria atrasada por conta do fechamento de algumas fábricas da empresa em decorrência da pandemia da Covid-19. No entanto, a doença já começa a afetar o lançamento de outros produtos da marca.

De acordo com a agência Bloomberg, a Ford teria admitido que o início da produção do novo Bronco e do elétrico Mustang Mach-E seriam postergadas. O anúncio teria sido feito por Hai Thai-Tang, chefe de desenvolvimento de produtos da marca, durante conferência com analistas financeiros do Bank of America.

O executivo teria afirmado ainda que estes três lançamentos (F-150, Bronco e Mach-E) iriam ser os únicos a serem afetados pela pandemia, mas que “considerando nossa falta de capacidade em manter as atividades nas fábricas durante o período de isolamento, haverá um impacto na programação em termos de lançamentos. Esperamos que estes atrasos sejam proporcionais ao período da quarentena”.

Até o momento, a Ford começou a reabrir suas linhas de montagem nos EUA, Canadá e México a partir desta semana. Com isso, a apresentação da nova geração da F-150 deverá ficar para julho, um mês após a ideia original. Depois, o elétrico Mustang Mach-E, já em pré-venda, deverá ter as primeiras unidades entregues em novembro. Por último, o Bronco ainda não teve data confirmada, devendo ficar para 2021. Em 2020, a Ford já acumulou US$ 5 bilhões (R$ 28,5 bilhões) em prejuízos até abril.

Ford Mustang Mach-E
Ford Mustang Mach-E
Imagem: Divulgação

Assine a newsletter semanal do AUTOO!