Honda Civic chega à 11ª geração com proposta burocrática

Lançado nos EUA como linha 2022, sedã estreia com estilo sem imaginação e novidades técnicas óbvias e mais focadas na versão Touring. No Brasil, modelo pode virar importado
Honda Civic 2022

Honda Civic 2022 | Imagem: Divulgação

A estreia da 11ª geração do Civic nos EUA teve ares melancólicos. A Honda, sob o pretexto de tornar o sedã mais “simples e de linhas limpas”, na verdade transformou o carro num veículo “simplório” e sem imaginação.

O resultado só não é mais decepcionante que o da 9ª geração, concebida após a crise financeira mundial de 2008 e que podou qualquer ousadia semelhante ao antecessor.

De fato, não se esperava grandes arroubos de modernidade no novo Civic já que a 10ª geração tinha pegado mais pesado no visual esportivo e rebuscado, mas numa análise inicial, a linha 2022 americana simplesmente não diz a que veio.

A Honda seguiu o roteiro conhecido ao conceber o novo carro, a saber:

  • Ampliou ligeiramente suas dimensões, com destaque para o entreeixos de quase 2,74 m;
  • Aprimorou os motores 2.0 litros aspirado e 1.5 turbo, que oferecem mais desempenho e menos consumo;
  • Fez uso de LEDs com mais ênfase no exterior;
  • Equipou o carro com telas digitais maiores, incluindo o cluster;
  • Incorporou toda a parafernália eletrônica de auxílio ao motorista como o sistema Honda Sensing;
  • Reforçou a estrutura da carroceria;
  • Refinou a suspensão e o ajuste da direção elétrica.

Ou seja, nada que não fosse esperado e até obrigatório. Com o argumento de voltar às origens do carro, a Honda introduziu um estilo absolutamente repetitivo, a ponto de certamente passar despercebido caso os logotipos fossem suprimidos – duvido que alguém faria o mesmo com a marcante 10ª geração.

A grande sacada no visual do Civic 2022, na opinião da Honda, foi alongar o capô em 2 cm para enfatizar uma “silhueta premium”. Mas o capô grandão traz os mesmos motores 2.0 aspirado e 1.5 turbo de antes, embora aprimorados (é o mínimo que se espera após cinco anos de produção).

Honda Civic 2022
Honda Civic 2022
Imagem: Divulgação

O perfil da carroceria, como é tendência, flerta com ares de cupê, com a caída bastante longa, quase no final do porta-malas. Por falar nele, o espaço para bagagens voltou a encolher.

Se o Civic anterior levava 519 litros, o novo perdeu 100 litros na versão americana. Está menor que o da geração 9, mas ainda um pouco mais espaçoso que o “new Civic”.

Se cresceu no entreeixos e não ganhou porta-malas, entende-se que o espaço interno ficou bem mais generoso, mas isso não é totalmente verdade.

Comparando o Civic 2022 com o anterior (modelo dos EUA), a nova geração oferece o mesmo espaço para cabeça, pernas e ombro (na frente). O espaço para ombros no banco dianteiro teve um acréscimo mínimo enquanto o espaço para os quadris teve uma ligeira ampliação.

Versões LX Sport EX Touring
Motor 2.0 16V 2.0 16V 1.5 turbo 1.5 turbo
Potência 158 hp 158 hp 180 hp 180 hp
Torque 19,1 kgfm 19,1 kgfm 24,5 kgfm 24,5 kgfm
Transmissão CVT CVT com paddle-shift CVT CVT com paddle-shift
Modos de direção Não Sim Não Sim
Rodas e pneus 16 pol 215/55 18 pol 235/40 17 pol 215/50 18 pol 235/40
Honda Sensing Sim Sim Sim Sim
Airbags 10 10 10 10
Apple CarPlay e Android Auto Sim Sim Sim Sim
Central multimídia 7 pol 7 pol 7 pol 9 pol
Som Bose Não Não Não Sim

Painel decepciona

Não se sabe bem a razão de a Honda ter publicado nesta semana um conceito de painel com ares bem mais empolgantes, justamente na véspera de apresentar o Civic. Como AUTOO mostrou nesta quarta-feira, a solução seria muito mais marcante e compensaria o ar modorrento do exterior.

Mas os futuros proprietários do Civic 2022 conviverão com um interior que se tem alguns elementos interessantes é no geral bastante aquém do que a Honda poderia fazer.

Embora siga o tal conceito “Máximo Homem/Mínimo Máquina” (numa tradução literal), o novo painel deixou o interior um tanto perdido, com imensos porta-copos e porta-objetos como se não houvesse com o que preenchê-lo.

É o tal design minimalista que, sim, é algo positivo, mas que não combina com uma enorme central plantada no topo do console ou um volante imenso e sem qualquer toque esportivo. A solução em colméia dos difusores de ar, por outro lado, agrada, mas não salva.

  8ª geração 9ª geração 10ª geração 11ª geração
Medidas 2006-2011 2011-2016 2016-2021 2021
Comprimento 4,489 m 4,525 m 4,637 4,674 m
Largura 1,752 m 1,755 m 1,799 1,80 m
Altura 1,45 m 1,45 m 1,433 1,415 m
Entreeixos 2,70 m 2,668 m 2,7 2,736 m
Porta-malas 340 litros 449 litros 519 litros 419 litros
Peso em ordem de marcha 1.272 kg 1.306 kg 1.326 kg 1.363 kg
Motor principal 1.8 2.0 1.5 turbo 1.5 turbo
Potência 140 cv 155 cv 173 cv 180 hp
Torque 17,7 kgfm 19,5 kgfm 22,4 kgfm 24,5 kgfm
Transmissão principal Aut. 5 marchas Aut. 5 marchas CVT 7 marchas CVT
Espaço para cabeça     100 cm/94 cm 100 cm/94 cm
Espaço para as pernas     107 cm/95 cm 107 cm/95 cm
Espaço para os ombros     145 cm/140 cm 145 cm/142 cm
Espaço para os quadris     136 cm/120 cm 138 cm/124 cm
Volume do habitáculo     2,77 m³ 2,8 m³

Veja a galeria de imagens do novo Honda Civic 2022

Ah, sim, mas o Civic 2022 ganhou painel de instrumentos digital...ledo engano, a novidade é de série apenas na versão Touring. Aliás, como é um (mau) hábito na Honda, o sedã também deixa soluções óbvias apenas para o modelo mais caro, como a central de 9 polegadas (a comum tem 7 polegadas) e som Bose.

Ao menos no quesito segurança, o novo carro incorpora algumas novidades importantes como um novo airbag frontal que reduz ferimentos no pescoço e cabeça e airbags laterais para os ocupantes do banco traseiro.

De resto, o novo Civic 2022 vem com a lista obrigatória que inclui conexão sem fio com o Carplay e Android Auto, recarga de smartphone por indução, câmera frontal, assistente de congestionamento e controle de frenagem em baixa velocidade, entre outros.

Felizmente, a Honda manteve a suspensão independente na traseira enquanto continua a equipar o sedã com transmissão CVT com funcionamento revisado para economizar combustível e simular marchas de forma mais eficiente.

Honda Civic 2022
Honda Civic 2022
Imagem: Divulgação

Adeus ao Civic nacional?

A estreia do Civic 2022 nos EUA é esperada para o começo do segundo semestre, com produção apenas no Canadá. A novidade é que a Honda vai vender o novo Civic hatch e produzi-lo nos Estados Unidos em breve.

Apesar da perda de apelo dos sedãs compactos (para os padrões globais), o Civic ainda mantém uma boa clientela na América do Norte. No restante do mundo, no entanto, o cenário é diferente e para pior, o que inclui o Brasil.

Se chegou a emplacar mais de 60 mil unidades em 2013, o Civic brasileiro perdeu clientes após a chegada do HR-V. Em 2020, o sedã teve apenas 20,5 mil unidades vendidas e neste ano não deve atingir nem esse patamar.

Como AUTOO revelou em primeira mão, a Honda teria desistido de fabricar a nova geração no país. Em vez disso, pode investir no novo City, que está ganhando musculatura e é um produto mais barato de produzir, ainda mais que ele ganhará a companhia da inédita versão hatchback.

Provavelmente não será a despedida do modelo, que pode ser importado em versões mais equipadas no futuro. Se a 11ª geração encontrar interessados, é claro.