Jeep Compass, Toyota Corolla Cross ou VW Taos: qual entrega mais pelo seu dinheiro?

Com a chegada do VW Taos, analisamos os três principais SUVs médios do mercado do ponto de vista do custo-benefício
Trio deverá responder pela maior procura entre os SUVs médios no Brasil

Trio deverá responder pela maior procura entre os SUVs médios no Brasil | Imagem: Montagem Autoo sobre fotos de divulgação

A partir do fim de junho, quando o Volkswagen Taos chegará às concessionárias, o novo trio dos principais SUVs médios do mercado em volume de vendas estará completo. Ao lado da novidade da marca alemã, o Toyota Corolla Cross traz toda a reputação da fabricante japonesa aliada ao nome consagrado do sedã, enquanto o Jeep Compass segue não só como o líder da categoria, mas ainda acumula o feito de figurar entre os SUVs mais vendidos do país. Certamente será uma disputa muito aguerrida e que promete boas surpresas a partir do segundo semestre deste ano.

Agora que já sabemos todos os dados oficiais de preços e versões do VW Taos, a dúvida imediata que surge é a seguinte: qual dos três SUVs médios é capaz de entregar mais pelo seu dinheiro? Como eles se saem se colocarmos o custo-benefício em primeiro lugar? Para tanto, vamos centrar nossa análise considerando aquelas que devem ser as versões mais buscadas pelos consumidores. 

Começando pelo líder Jeep Compass, é fato que a maior procura pelo SUV recai em seu catálogo intermediário Longitude, hoje com preço sugerido de R$ 154.990 na maior parte do território nacional. A predileção do público por esta versão é simples de entender, uma vez que ela reúne os itens de série mais desejados por grande parte dos consumidores, tais como o revestimento interno de couro, central multimídia (com tela de 10,1” a partir da linha 2022), acendimento automático dos faróis, sensor de chuva, chave presencial, ar-condicionado automático com duas zonas, rodas de liga leve aro 18”, câmera de ré, entre outros recursos. O Compass Longitude também acrescenta recursos valiosos, como os faróis full-LED e o novo sistema de telemática Adventure Intelligence, fazendo do Compass o único do trio a contar com este tipo de tecnologia.

Partindo para o Corolla Cross, a própria Toyota estima que a versão intermediária do SUV, no caso a XRE com motor 2.0 flex (R$ 153.690), vai responder por nada menos do que 65% dos emplacamentos do modelo. O Corolla Cross XRE traz uma lista de itens de série muito próxima ao que encontramos no Compass Longitude, deixando claro que o modelo da Jeep foi a referência para a precificação dos concorrentes. O Corolla Cross é o único a sair de fábrica com 7 airbags, enquanto nos demais modelos encontramos 6 bolsas infláveis. Todos os SUVs aqui reunidos, como é esperado, oferecem os controles de tração e estabilidade.   

Chegando no recém-lançado VW Taos, não por acaso a marca alemã sequer se preocupou em oferecer uma versão muito básica da novidade, como encontramos no Jeep Compass Sport ou no Toyota Corolla Cross XR, até porque as participações desses catálogos no portfólio da dupla é pequena.

Com isso, o VW Taos parte de R$ 154.990 na versão Comfortline já com muitos itens encontrados também no Corolla Cross XRE e Compass Longitude. Talvez um ponto em que a Volkswagen deixou a desejar em sua estratégia foi colocar o revestimento interno de couro como um opcional para o Taos Comfortline. Com o chamado “Pacote Conforto”, o preço do SUV sobe para R$ 160.410, mas, além do revestimento mais nobre para a cabine, o pacote em questão acrescenta o aquecimento para os bancos dianteiros e traz comandos elétricos para o assento do motorista. Por conta disso, o Taos Comfortline torna-se mais caro do que os rivais quando equipado da mesma forma. 

A grande questão é que o VW aposta em seus diferencias técnicos para justificar o preço superior. A novidade da VW entrega uma cabine mais espaçosa do que o Compass e um porta-malas bastante superior em relação aos concorrentes, atingindo 498 litros segundo o padrão VDA. O Corolla Cross com seus 440 litros consegue chegar mais perto do VW, enquanto ambos superam, com folga, os 410 litros (também no padrão VDA) do Jeep. O Taos conta com o conjunto de suspensão mais avançado entre os três SUVs, com layout multibraço para as rodas traseiras. O Compass também oferece suspensão independente tanto na dianteira como na traseira, mas opta pela robustez da disposição McPherson. O Corolla Cross, por sua vez, deixa a desejar nesse ponto com o eixo de torção traseiro. 

Do ponto de vista mecânico, os três SUVs médios estão alinhados com o que há de mais recente em termos de propulsão. O VW Taos traz sob o capô o já conhecido motor 1.4 TSI com 150 cv e 25,5 kgfm sempre associado ao câmbio automático de 6 marchas. A Toyota, por sua vez, dispensa o turbo para o 2.0 Dynamic Force presente no Corolla Cross, mas graças à soluções avançadas como o sistema D-4S, que mescla as injeções direta e indireta, entre outros avanços, o propulsor consegue entregar 177 cv e 21,4 kgfm de torque máximo com etanol. A transmissão automática CVT capaz de simular 10 marchas é um aliado para que o Toyota consiga entregar médias de até 11,5 km/l na cidade e 12,8 km/l na estrada com gasolina, fazendo dele o SUV mais econômico do trio. 

O Compass, por sua vez, ganhou vida nova ao substituir o 2.0 Tigershark pelo novo 1.3 turbo com injeção direta integrando a família GSE. Com notáveis 185 cv e 27,5 kgfm de torque, o Jeep consegue acelerar de 0 a 100 km/h nos mesmos 9,3 segundos do VW Taos, bem como registra médias de consumo na casa de 10,3 km/l na cidade e 11,9 km/l na estrada com gasolina. O Compass 2022 turbo flex conta sempre com câmbio automático de 6 marchas. No caso do VW Taos, o consumo oficial com gasolina fica em 10,2 km/l na cidade e 12,2 km/l na estrada, portanto bem próximo ao do Compass 2022.

Como é possível notar, ao considerarmos os catálogos que atuam na faixa de valor mais disputada entre os SUVs médios os três produtos entregam um conteúdo muito equivalente. É fato, entretanto, que o VW Taos Comfortline consegue se destacar em especial ao levarmos em conta seus atributos técnicos. É necessário adquirir o revestimento de couro como um opcional, o que acaba por elevar o preço da novidade frente aos concorrentes diretos, contudo encontramos no VW uma excelente cabine para 5 passageiros, o maior porta-malas e um cuidado adicional em seu projeto ao considerarmos o conjunto de suspensão, tudo isso sem ficar devendo em termos de eficiência na parte mecânica. De olho no custo de propriedade, vale citar que o Taos conta com as três primeiras revisões gratuitas, o que representa uma economia em torno de R$ 1.500 e ajuda a amortizar a diferença de preço entre o Taos Comfortline com o “Pacote Conforto” em relação aos rivais.

Se subirmos de patamar e considerarmos as versões topo de linha dos três SUVs, o jogo vira a favor do Toyota Corolla Cross.

Com preço tabelado em R$ 184.490 é possível adquirir o Toyota em sua versão mais completa XRX Hybrid. Nessa configuração, o Corolla Cross entrega algo que nenhum competidor direto oferece, no caso a destacada eficiência do conjunto propulsor híbrido flex. Além de colaborar com o meio ambiente, o modelo é capaz de rodar 17 km com um litro de gasolina na cidade (11,8 km/l com etanol) e 13,9 km/l na estrada (9,6 km/l com etanol). Ponto favorável para o Corolla Cross topo de linha também fica por conta dos seus assistentes de condução englobados no Toyota Safety Sense. Ele reúne o alerta de colisão com frenagem autônoma de emergência capaz de detectar inclusive pedestres e ciclistas, assistente de permanência em faixa, farol alto automático, monitoramento de pontos cegos, alerta de tráfego cruzado traseiro e piloto automático adaptativo. O Toyota também sai de fábrica nesta versão com teto solar convencional. 

O Volkswagen Taos Highline (R$ 181.790) também mostra-se muito competitivo e traz o mesmo nível superior de assistentes de condução que observamos no Toyota Corolla Cross XRX Hybrid. Conta a favor do modelo diferenciais como o painel de instrumentos totalmente digital e a central multimídia com tela de 10,1”, ambos também presentes no Compass topo de linha, como vamos analisar adiante.

A Toyota foi inteligente e soube aproveitar muito bem o grande diferencial do Corolla Cross XRX em termos de propulsão quando comparado aos rivais na mesma faixa de preço. Ao não extrapolar no valor praticado para o SUV, a Toyota coloca na categoria um produto bastante singular.

Com isso, e levando em conta que o Corolla Cross não fica devendo tanto assim para o Taos em termos de porta-malas e muito menos em espaço interno, a sofisticação técnica da mecânica híbrida projeta o Toyota como a melhor opção a ser considerada nessa faixa de preço. Se não tem as revisões iniciais grátis como é o caso do Taos, vale ponderar que o Corolla Cross conta com 5 anos de garantia total (8 anos para o conjunto híbrido), portanto dois anos a mais do que os concorrentes.

O Jeep Compass também é tão completo quanto os rivais topo de linha em seu catálogo equivalente Série S, sendo o único a acrescentar o assistente de estacionamento, porém seu preço de R$ 187.990 acaba tornando-se muito elevado. Mesmo levando em consideração que o Compass Série S traz o teto solar panorâmico de série, é possível adquirir o Taos Highline com o mesmo item por R$ 187.310. Nesse caso, as vantagens da maior cabine e o amplo porta-malas do VW o tornam uma escolha mais sensata em relação ao Jeep.

Como vimos até aqui, temos em Toyota Corolla Cross, Jeep Compass e VW Taos produtos com um nível de excelência tão elevado que não será estranho se, a partir do segundo semestre, a participação de mercado dos SUVs médios começar a se destacar cada vez mais. Encontramos nos três modelos níveis de tecnologia e segurança superior, além de conjuntos mecânicos de ponta. Com tamanho mais adequado ao uso familiar, os SUVs médios avaliados aqui podem ser soluções mais interessantes em relação aos SUVs compactos, que muitas vezes deixam a desejar no espaço para bagagens ou oferecem cabines um tanto quanto acanhadas para cinco passageiros. E você, o que achou de Taos, Compass e Corolla Cross? Qual é a melhor escolha na sua opinião?

Trio deverá responder pela maior procura entre os SUVs médios no Brasil

Trio deverá responder pela maior procura entre os SUVs médios no Brasil