Boa parte do alto preço dos carros elétrico deve-se ao valor elevado de suas baterias, que por não serem produzidas em larga escala ainda são muito caras. Logo, para baratear um veículo desse tipo uma das formas é simplificar justamente o sistema de armazenamento de energia. Foi o que a Mitsubishi fez com o i-MiEV, que agora conta com as versões “M”, mais simples, e a “G”, que segue as especificações até então usuais do carro ecológico da marca japonesa.

O conjunto de baterias do i-MiEV M tem voltagem mais baixa: 270 volts. Por conta disso, o tempo de recarga total é menor – 7 horas contra 14 do i-MiEV G -, mas isso também significa menos potência. Na versão mais simples, o carro elétrico da Mitsubishi dispõe de 41 cv, enquanto o modelo superior desenvolve 64 cv. A autonomia do veículo também é 40 km inferior a da versão mais cara, que pode percorrer até 180 km.

A parte de acabamento, porém, muda pouco. A versão M, por exemplo, vem com rodas aro 14 com calotas, enquanto o G possui rodas de alumínio aro 15”, e o sistema de navegação GPS com tela integrada ao painel foi excluído. Desta forma, no Japão o i-MiEV mais simples, já com subsidio do governo, custa o equivalente a R$ 36.000. O modelo G, por outro lado, é bem mais caro: custa em iene, a moeda japonesa, cerca de R$ 76.100.

Mitsubishi i-MiEV
Divulgação

A versão mais simples do i-MiEV tem baterias de menor voltagem e menos itens de série

Em informe, a Mitsubishi afirma que pretende vender 6.000 unidades do i-MiEV M e desta forma popularizar o veículo pelo mundo – na Europa o mesmo carro é comercializado em versões caracterizadas com detalhes da Peugeot e Citroën.

Thiago Vinholes

|